domingo, 9 de junho de 2013

DESVAIRADOS


(RÔ Campos)

Desvairados, teus cabelos
Vez em quando, desvairados
Desvairados, como teus beijos
Na alcova, ardendo o peito.

Desvairados, teus desejos
Vez em quando, desvairados
Desvairados, como a fome
Na boca sedenta do homem.

Desvairados, teus sonhos
Vez em quando, desvairados
Voam longe, não se cansam
Os teus sonhos de menino.

Desvairados, fomos nós
Vez em quando, desvairados
Loucos! Loucos! nos chamaram
Nos perdemos em desvarios.

Desvairados, agora somos
Vez em quando, desvairados
Vago eu, nos rios da vida
Vagas tu, nos lábios meu.

Nenhum comentário: