sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

ORGASMOS DA ALMA

(Nesse texto, falo sobre a minha poesia, e da relação entre poesia e música. Deem uma olhadela. Feliz 2011. Falta menos de meia-hora. Muita música e poesia nos nossos corações).

"Não lancem sujidades sobre a minha poesia. Na pocilga vivem os porcos!
É onde me encontro com o meu outro “eu”, que de mim se desgarrou. Vive errante.
Tento fazer poesia. É o dia seguinte do frenesi ou da agonia. Ou as horas que os antecedem.

Não faço música. Embora ambas sejam gêmeas univitelinas, eternas meninas. Brotaram de um mesmo óvulo, de um único gozo.
(Poesia e música são os orgasmos da alma!).

Traz a minha poesia a melodia que a natureza canta. Exprimo-a nos meus risos e lágrimas, e também nos meus “ais’. Solfejo-a nas noites de lua, e até mesmo quando a lua não sai.
Ouço-a nos pingos da chuva, na dança das águas, na serenidade e na fúria do mar, na tempestade e na calmaria, no vento que assobia. Ouço-a até no gemido da manhã que se levanta e no silêncio da noite que se deita.

(Quantas vezes o silêncio soa mais alto que as trombetas!).

Às vezes tocam os anjos que me guardam; noutras, os fantasmas que teimam em me assediar. Descuido dos anjos!

A poesia dos outros também carrega melodia. Poetar é musicar a vida!
Vou musicando a minha, em vários compassos, sempre procurando uma saída. Vou vivendo a minha, como se poesia fosse. Livro-a do azedume da rotina. Perfumo-a com o aroma das flores.

E música não há sem poesia.São os acordes frases que deliram, embriagadas. A busca e o encontrar de cada tom, um eco que promana das entranhas, um êxtase.
Declama a música. Canta a poesia. Dança a alma, que, assim, atinge o píncaro.

21/07/2010

ENQUANTO HOUVER SOL

(faço repeteco do poema que escrevi no final do ano passado. Pra quem está desanimado, o negócio é o seguinte: não desista nunca, enquanto houver sol. O título do poema é óbvio, pois, sabidamente, sem Sol (e a água, é claro) não haveria vida no planeta. Então, se o mundo não vai acabar, porque eu vou desistir??? Jamé!)

Não desista agora,
Ainda é possível,
O relógio nunca para de marcar a hora,
O amanhã virá, mesmo que o Sol não saia.
Fugir não faz sentido.
Eu sei, você sempre pode,
Há vida do lado de fora,
Além da morte de nossas ilusões.

Vem, me dá tua mão,
Vamos seguir em frente,
Buscar o que deixamos pra trás,
Redescobrir nossos sonhos.

Eu sei, acreditar é difícil,
Mas basta abrir o coração.
Não desista agora,
Ainda é possível.

A noite é escura e assombra
Bem sei,
Mas nós confiamos no Bem,
Não tememos fantasmas,
Tantas foram as estradas que já passamos,
E amanhã, quando o dia acordar
Teremos vencido o medo.
Não desista agora
Ainda é possível.

Olhe, o inverno já se foi,
É chegada a primavera,
As flores estão se abrindo,
Os pássaros cantando.
O mundo é dualidade:
Às vezes somos alegres, às vezes tristes,
Mas, creia, viver é sempre uma possibilidade.
Por isso, espere até amanhã,
E depois de amanhã, e depois, e depois
Mas não desista agora,
Ainda é possível.

Veja como o Sol nasce e morre todos os dias,
E quando ele renasce, já não é mais o mesmo Sol,
Cada dia é uma renovação.
Assim também somos nós,
Partes deste mundo tão sensível.
Por isso, eu te digo
Não desista Nunca!
Sempre é possível,
Enquanto houver Sol!"

(RÔ CAMPOS, 23/11/2009)

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

PRECE DE CÁRITAS

(Lembrança dos velhos tempos, em que nos reuníamos no começo da noite, em nossa casa da rua Boa Sorte, sob a presidência do nosso querido pai, e com nossa bisa Dadica, para fazermos nossas preces. Minha bisa materna era espírita e toda a família de meu pai. Meu tio, José Campos, foi um dos idealizadores da construção do prédio do Centro Espírita Allan Kardec, o qual, na realidade, deveria ser um hospital. Quando criança, corri muito pelos corredores daquele prédio,ainda em construção, nos gostosos programas de domingo, aos quais comparecíamos, inveriavelmente.
Nunca esqueci essa prece. Vale a peça fazê-la, inclusive para meditar e refletir.)

"Deus, nosso Pai, que sois todo Poder e Bondade, dai força àquele que passa pela provação, dai luz àquele que procura a verdade; ponde no coração do homem a compaixão e a caridade!

Deus, Dai ao viajor a estrela guia, ao aflito a consolação, ao doente o repouso.

Pai, Dai ao culpado o arrependimento, ao espírito a verdade, à criança o guia, e ao órfão o pai!

Senhor, que a Vossa Bondade se estenda sobre tudo o que criastes. Piedade, Senhor, para aquele que Vos não conhece, esperança para aquele que sofre. Que a Vossa Bondade permita aos espíritos consoladores derramarem por toda a parte a paz, a esperança e a fé.

Deus, um raio de luz, uma centelha do Vosso Amor pode abrasar a Terra; deixai-nos beber nas fontes dessa bondade fecunda e infinita, e todas as lágrimas secarão, todas as dores se acalmarão.

E um só coração, um só pensamento subirá até Vós, como um grito de reconhecimento e de amor.

Como Moisés sobre a montanha, nós Vos esperamos com os braços abertos, oh Poder!, oh Bondade!, oh Beleza!, oh Perfeição!, e queremos de alguma sorte merecer a Vossa Divina Misericórdia.

Deus, dai-nos a força de ajudar o progresso a fim de subirmos até Vós; dai-nos a caridade pura, dai-nos a fé e a razão; dai-nos a simplicidade que fará de nossas almas o espelho onde se refletirá a Vossa Imagem."

domingo, 26 de dezembro de 2010

ESSA TAL LIBERDADE

Extraio do meu Novo Dicionário AURÉLIO da Língua Portuguesa (edição de mil novecentos e lá vai depois), que liberdade seria uma faculdade de cada um se decidir ou agir segundo a própria determinação. Um poder de agir no seio de uma sociedade organizada, segundo a própria determinação, dentro dos limites impostos por normas definidas. À luz da filosofia, liberdade é "caráter ou condição de um ser que não está impedido de expressar, ou que efetivamente expressa, algum aspecto de sua essência ou natureza."
Nas minhas andanças por este mundo, no exercício de minha profissão de advogada, e até mesmo no dia a dia, muito ouço as pessoas arvorando-se livres. Eu mesma não abro mão do estado de liberdade em que hoje me encontro, procurando sempre transformar, em meu próprio benefício, as consequências - sejam quais forem elas - das decisões que tomo. Isso é liberdade: ser livre para fazer as escolhas, dentro dos limites das leis, e, reconhecendo as consequências das decisões tomadas, assumi-las inteiramente, não pondo, na hipótese de resultados não benéficos, a culpa em Deus, em terceiros ou no acaso.
Que liberdade é essa, em que o usuário de álcool pode causar danos à sua saúde, contraindo doenças como cirrose, hepatite, câncer etc, e depois, enfermo,culpa a Deus pelo seu infortúnio? Que faz uso do álcool para magoar, agredir, agir inescrupulosamente, e depois colocar a culpa na bebida, eximindo-se de qualquer responsabilidade?
Que liberdade é essa, em que o usuário de droga que adora curtir um barato, também pode causar danos graves à sua saúde física, mental, financeira, e, enfermo, culpa a Deus, a família, os problemas, o mundo inteiro?
Que liberdade é essa, quando fazemos um monte de besteira, tomamos decisões várias precipitadamente, agimos sob impulso, e depois não assumimos os resultados maléficos, mas invocamos sempre a nosso favor os bons resultados?
Que liberdade é essa, em que trai-se o outro, abandona-se o cônjuge, os pais, renegam-se filhos, nega-se comida, abrigo, amor e solidariedade ao outro, o mundo transforma-se num cáos, e a culpa é de Deus?
Diz parte de uma música que já ouvi que "liberdade tá dentro da cabeça". Na verdade, liberdade implica em responsabilidade, e, efetivamente, responsabilidade está dentro da cabeça.
Não é livre, absolutamente, quem age e não se responsabiliza pelo resultado negativo de sua atitude. Há que se ter coragem para viver!
Não é livre quem ludibria, engana, se omite, simula, é usurário, foge dos enfrentamentos da vida. Viver é travar batalhas constantes. E Golias não faltam.
Não é livre quem passa os dias e as noites sob efeito de drogas, porque as drogas o dominam. Como pode ser responsável quem não tem sequer a consciência de si mesmo?
Não é livre o egoísta, porque a avareza o possui.
Não é livre quem não ama verdadeiramente, porque a ausência de amor implica em um coração árido. E o amor é semente que só brota em coração fértil. Como pode ser responsável quem não ama?
Não é livre quem não compreender que não importa de onde tenhamos vindo, para onde vamos. O que importa é que estamos aqui neste mundo, por alguma razão que, pelo menos até hoje, desconhecemos. O que importa, então, é viver, segundo por segundo, pois o segundo seguinte é um enigma. Não importa acumular bens materiais nem dinheiro, pois, se formos para algum lugar, nada levaremos conosco. O que importa é termos uma vida plena, acima de tudo com tolerância e respeito às diferenças, fazendo bom uso e partilha do que recebemos, porque nada se recebe por acaso, nada vem de graça.
O resto... o resto é ser feliz, sonhar e sonhar, deixar o coração pulsar, acreditar na vida, ter paciência.

sábado, 25 de dezembro de 2010

VOCÊ É GÓTICO?

Retirei a frase abaixo de um site gótico. Achei interessante para refletirmos. Muito bom para debate.

"Dizem que, se ao menos eu tentasse, talvez conseguisse me libertar. Mas, mesmo procurando luz, me perderei entre as sombras, pois não tem como se escapar de algo que faz parte de você e que te domina."

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

ALGUMAS MENSAGENS DE NATAL QUE ENVIEI PELO ORKUT

1) Amiga, que a felicidade sempre esteja em sua casa, que é o seu corpo, onde habita o seu espírito. Mesmo que você esteja triste, ainda assim, que você continue acreditando, sempre, que amanhã poderá ser um dia melhor, porque a vida é um mistério, e o segundo seguinte, um enigma. Então, viva sempre cada instante, intensamente, com amor e bondade no seu coração. Nunca desperdice um minuto sequer, pois podemos não dispor do minuto que vem a seguir. Lembre-se, sempre, que na vida há duas cadeiras: numa, senta-se a tristeza; noutra, a alegria se levanta, e assim sucessivamente...Moral da história: as duas nunca se sentam ou se levantam ao mesmo tempo, mas, tenha calma, que tudo acontece exatamente na ordem que lhe falei há pouco. Paciência, também! Lembra que sempre te falei isso? Paciência é um exercício diário. E só exercita a paciência com progresso, dia a dia, quem acredita naquilo a que se propõe. Parabéns pra você, que conseguiu alcançar alguns degraus na escada da vida, ainda quando nada sabia sobre ela.

2) Amei o que vocês postaram no perfil "about" as duas. Fernanda, tu sabes muito bem como funciona a cabeça desta tua tia, sempre tachada de "doida" por quem jura que é normal, e, na realidade, não passa de um ser profundamente infeliz. Se ser normal é ser infeliz, então, eu concordo com eles: eu sou doida. kkkkkk Eu sou louca pela vida, pela música, pela poesia, pelo universo infindo, e, agora, pelo meu amor lindo. Quando me viram com ele, no Largo São Sebastião, a primeira vez, a cúpula reuniu-se para decretar o meu estado de loucura definitivo, simplesmente porque ele é um hippie (acho, agora, que é um ex-hippie kkkk). É impressionante a capacidade das pessoas julgarem o outro, esquecendo do próprio umbigo. É impressionante como param na superfície, na casca, na embalagem, esquecendo a profundidade, que sempre foi o que mais me interessou nas pessoas: aquilo que está lá embaixo, oculto, nas profundezas. Gosto de descobrir, de penetrar(ou, ao menos, tentar) na alma do outro. Não gosto do corriqueiro, do comum, do que está à vista de tudo e de todos. Finalmente, eu quero é que o povo exploda, pois as minhas contas pago eu (ou não, kkkkkk), e quem comprou a cama em que ele se deita comigo, fui eu (eu não ganhei do caminhão do Faustão kkkkk). Pois é, Ninanda, o que importa, mesmo, é a família e os amigos que nos amam de verdade(são tão raros...). E, amor e prazer, independe de diferença de sexos. Isso só serve mesmo para a procriação, que, aliás, com o progresso da ciência, já não é mais o único meio (vide inseminação artificial). Um beijo grande e felicidade eterna para vocês.

3) Pereirovsky, mano querido, lá se vai mais uma jornada... e nós aí, caindo, levantando, alegres, tristes. Essa é a roda da vida. O que não podemos fazer é deixar de buscar, buscar, buscar, porque, se a busca cessar, não teremos mais motivos pra continuar. É por isso que eu e vc somos assim, tão inquietos. O que importa mesmo, mano, é amar, pois, amando, aceitamos o outro como ele é, com suas limitações e dificuldades. Afinal de contas, não somos robôs e não funcionamos com um simples apertar de botões. Temos sentimentos, que podem ser bons ou ruins, depende de tantas coisas.... E, havemos de convir, começar a caminhar na estrada do conhecimento já é difícil, imagina chegar ao menos perto do cimo. As pessoas não estão muito aí pra isso, não. Querem saber do que extasia a matéria, simplesmente. Perdem a grande oportunidade de unir o útil ao agradável. Tudo bem que progresso material também é bom e necessário (e eu gostio), mas sem o equilíbrio entre matéria e espírito não adianta nada. Mano, fiz uma travessia brutal neste ano q termina, mas foi maravilhoso aprender mais, ter a carne cortada para que eu mesma a costure e a trate para sarar. E a luta continua. Beijo grande. Força, sempre, pois é nas dificuldades que sabemos do que somos capazes.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

DOCA

( À minha querida amiga e irmã, Suzy Hô, todo o meu sentimento.
Já que não podemos sentar e recordar todos os momentos felizes que desfrutamos, nas longas conversas na cozinha, em meio aos salgadinhos deliciosos, ou na sala, sentadas no sofá, e ela, na cadeira.
Já que não podemos sentar e recordar as nossas peripécias da juventude, e suas palavras brandas nos repreendendo, com aquele olhar suave e penetrante.
Já que não podemos dizer, sim, valeu a pena.
Já que meu abraço não poderá te afagar, mas, sim, te afligir.
Já que nem pude dizer a ela: até um dia, quem sabe.
Escrever - minha irmã -, isso não me podes negar.
Cantá-la em versos é o que me resta.Porque toda vida é uma poesia. E a dela, além do mais, foi uma verdadeira prece)


DOCA

Guerreira, a não mais poder
Rica, em toda a sua plenitude
Árvore de muitos frutos
DOCA se foi, sem que eu soubesse.

Foi-se deste Reino para onde?
Eu não sei, mas não foi pra longe.
Tudo aqui deixou. A força do amor
Que tudo vence, o alicerce.

DOCA, pequenina, branda
Mais forte que as tempestades.
Travou batalhas, caiu, levantou
Subiu montanhas, chegou ao cume.

DOCA cumpriu seu ciclo.
Minha irmã, orgulha-te disso!
Transforma teu chorar em risos.
Ouvirás a voz de DOCA no paraíso.

(RÔ CAMPOS, em 24/12/2010)

VIDA ETERNA

SAUDADE!

Da bagunça na casa
Do barulho da música, do riso
Do beijo ardente
Das nossas brincadeiras de criança.

SAUDADE!

Da alegria contagiante
Do amor que partiu e ficou
Do amor que cuidei
Do amor que me cuidou.

SAUDADE!

Do verbo que conjugamos
Da vida que vivemos, rara
De "Vida", um ser tão caro
De "Vida", o amor que fica.

SAUDADE!

Do coração franzino
Dos nossos corpos rolando na cama
Da comidinha bacana
Do carinho que dele emana.

SAUDADE!

Do nosso amor, invejado
Do nosso amor, sem idade
Do nosso amor, sem fronteiras
Do nosso amor, libertado.

SAUDADE!

Quando miro Leia, exuberante
Quando miro nossa estrela, a mais brilhante
Quando me deito e busco o teu abraço, e só o vento me beija
Quando acordo e não estás ao meu lado.

SAUDADE!

Do dia em que vais voltar
Dos beijos que nos daremos
Da renovação das promessas que fizemos
Da eternidade do amor que juramos.

(RÔ Campos, 24/12/2010)

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

É PRECISO MORRER PARA RENASCER

Já é Natal.
Sempre foi e será Natal
No coração de quem nasce e morre
Todo dia, afinal.

Já é Natal.
Hora de tomar um porre
De felicidade e amor,
Hora de enterrar o mal.

Já é Natal.
Celebrar, dedilhar um acorde
Afinar o coração, eis a lição
Amar, exercitar a entrega total.

Já é Natal.
É preciso morrer e renascer forte,
Derreter o gelo com o calor do coração,
Tornar-se a seiva, vida integral.

Já é Natal.
Mas preparai a ceia o ano inteiro para brindar a morte,
Da indiferença, da soberba, do preconceito,
E possa a Vida renascer a cada novo dia, frugal.

RÔ Campos, 22/12/2010

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

RENASCIMENTO

Cansada da vida
Após tantos anos vividos
Tantas avenidas percorridas
Erros e acertos
Alegrias e tristezas
Procuras, achados e perdidos.

Cansada da vida
Do dia, da noite
Das coisas vazias
Das buscas incessantes
Das respostas que não vinham
De tudo quanto me reprimia.

Cansada da vida
Da censura velada
Do preconceito contagioso
Do amigo da onça
Da usura do outro
Da iniqüidade que grassa.

Cansada da vida
Da dor do oprimido
Da fome que mata
Da ausência de virtude
Da mentira deslavada
Do teatro, do circo.

Cansada da vida
Dos infortúnios
Dos sonhos desfeitos
Das alegrias entristecidas
Da desesperança
Do desmoronamento da casinha de criança.

Cansada da vida
Das promessas não cumpridas
Do horizonte cada vez mais longe
Das incertezas
De tudo quanto me enganei
De minhas fraquezas.

Cansada da vida
Do medo que assombra
Da indiferença que aniquila
Do desamor
Do egoísmo escancarado
De não viver a liberdade.

Cansada da vida
De não ser o que sou
De não viver o que grita em mim
De me fechar
Cansada de tudo
Cansada do nada.

Há pouco tempo conheci Vida.
Hoje, juntos, assistimos ao dia se abrindo
E, sob sua luz, trocamos muitas palavras
Alimentamos nossos sonhos e despejamos os dejetos nos esgotos.
Vida é a impetuosidade do Mar e a paz do Céu
A turbulência do Céu e a calmaria do Mar
Mar e Céu e seus mistérios, como Vida e a vida.

Descobri pureza e um coração franzino.
Sua casa não tem paredes, mas ele é tão rico...
Esqueci do cansaço da vida.
Revigorei-me à luz da manhã, antes de me deitar
Enquanto muitos acordam sem sequer sonhar.

(RÔ Campos - escrito na manhã de sábado, 20/11/2010, dia do meu aniversário)

domingo, 12 de dezembro de 2010

QUE A FORÇA DO MEDO

O texto abaixo, segundo o Google, é de autoria do cantor e compositor Oswaldo Montenegro. Meu filho Bruno enviou-me na sexta-feira passada. Amei.Confesso que é um texto que eu gostaria muito de ter escrito. Para mim, poderia até ser o derradeiro, vez que encerra todo o meu pensar e sentir.Metade de mim é amor. E a outra metade...
também.

"Que a força do medo que tenho não me impeça de ver o que anseio.
Que a morte de tudo em que acredito não me tape os ouvidos e a boca.
Porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio.
Que a música que eu ouço ao longe seja linda, ainda que triste.
Que a mulher que eu amo seja sempre amada, mesmo que distante.
Porque metade de mim é partida e a outra metade é saudade.
Que as palavras que eu falo não sejam ouvidas como prece nem repetidas com fervor,
Apenas respeitadas como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimento.
Porque metade de mim é o que eu ouço, mas a outra metade é o que calo.
Que essa minha vontade de ir embora se transforme na calma e na paz que eu mereço,
Que essa tensão que me corrói por dentro seja um dia recompensada.
Porque metade de mim é o que eu penso e a outra metade é um vulcão.
Que o medo da solidão se afaste.
Que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto o doce sorriso que eu me lembro de ter dado na infância.
Porque metade de mim é a lembrança do que fui; a outra metade eu não sei...
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria para me fazer aquietar o espírito.
E que o teu silêncio me fale cada vez mais.
Porque metade de mim é abrigo, mas a outra metade é cansaço.
Que a arte nos aponte uma resposta, mesmo que ela não saiba,
E que ninguém a tente complicar,
Porque é preciso simplicidade para fazê-la florescer.
Porque metade de mim é platéia, e a outra metade, canção.
E que minha loucura seja perdoada.
Porque metade de mim é amor,
E a outra metade... também."

Oswaldo Montenegro

FORÇA MOTRIZ

Procurei o amor para dialogar,
Mas o amor se fechou,
Nem bem o botão arrebentou,
Nem bem a flor se abriu.

Procurei o amor para compartilhar,
Mas o amor se escondeu,
Nem bem o sol se pôs,
Nem bem a lua saiu.

Procurei o amor para amar
Mas o amor se calou,
Nem bem o dia sorriu,
Nem bem a noite chegou.

Procurei o amor para me doar,
Mas o amor não me quis,
Nem bem a tristeza havia ido embora,
Nem bem era alegria em meu coração.

Procurei o amor para... para...
Mas o amor não se procura.
O amor é uma semente que só brota em coração fértil
Não se ouve, não se vê, não se recebe. Sente-se.
O amor é perfume que exala e inunda a alma
É a primeira força motriz da vida.
A dor, a derradeira.


(RÔ CAMPOS, 20/11/2010)

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

DESUMANA HUMANIDADE

Humano. Demasiadamente humano,
Nietzsche disse;
Nelson Rodrigues concordou:
Nada é infinito no universo infindo
Além da infinita estupidez humana.

Desde sempre se há dito
Pela Lei da Criação:
À imagem e semelhança de Deus
Foi o homem concebido.

Tenho duvidado, vez em quando.
De tão humana, demasiadamente humana,
Essa desumana humanidade,
É o homem essencialmente mal, não é bom.
O Deus da Criação é do Bem.

Não é bom de coração:
O homem que mata o homem
O homem que mata a mãe
O homem que mata o filho
O homem que mata o pai.

Não é bom de coração:
O homem que renega o filho
O homem que humilha o irmão
O homem que rouba o empregado
O homem que o amigo trai.

Não é bom de coração:
O homem que abandona os pais
O homem que vive nas teias da corrupção
O homem que tudo quer pra si
O homem que pelo outro nada faz.

Não é bom de coração:
O homem que nega alimento à quem tem fome
Q homem que não agasalha quem tem frio
O homem que é indiferente à dor do outro homem
O homem que a usura infame seduz e satisfaz.

Não é bom de coração:
O homem que não celebra a vida
O homem que fomenta a discórdia e o ódio
O homem que pensa que tudo o dinheiro compra
O homem que o outro homem subjuga e reduz

Não é bom de coração:
O homem que da criança abusa e destrói seus castelos. Monstro!
O homem que a mulher explora. A mulher que o homem engana.
O homem que o desvalido pisa
O homem que tem no peito uma pedra e nunca chora.

Não é bom de coração:
O homem que não sabe a humildade.
O homem que não tem vergonha da sua falta de vergonha
O homem que se julga ser. E, na verdade, não é nada.

Não sabe de onde veio, nem para onde vai.
Senta-se também em vaso sanitário, arria as calças, faz xixi, arrota, solta traques.
Nasce , cresce, deseja, tem diarreias, fome, tosse, insônia, adoece, morre.
Do pó veio. Ao pó volverá.
Aqui chegou nu, e aos prantos. Nada levará consigo.
Nem lágrimas. Nem sorrisos.
Nem a posse de seu corpo, que nunca teve.
Nem a posse da sua (in)consciência.
Nem o amor das mulheres e dos homens,
Que - sabe - o dinheiro pagou e não comprou.
O amor não se vende!


Humana, demasiadamente humana, desumana humanidade!.


(RÔ Campos, em 26/10/2010)

HOJE

Não sei o quê me trará o amanhã
Quando o sol tocar os negros cabelos da noite
Despertando a manhã preguiçosa,
E puser as pernas no mundo.

Não sei o quê me trará o amanhã
Quando a madrugada se trancar
O Sol abraçar o dia
A rosa-menina no meu jardim se abrir
Cantar o beija-flor, o bem-te-vi.

Não sei o quê me trará o amanhã
Quando o dia se levantar
Sair, correr, sorrir, cantar
Beijar a face ensolarada da tarde.

Não sei o quê me trará o amanhã
Quando a chuva molhar o Sol
Saciando a sede do chão, do verde
A água correr pro rio
O rio desembocar no mar.

Não sei o quê me trará o amanhã
Mas hoje, ainda, o dia beijou a tarde e namorou a noite
Confesso que vivi!
Porque o dia é hoje
Amanhã um de nós pode partir.


(Rô Campos, em 23/09/2010)

MESTIÇA

Sou Amazônia.
Sou cheiro.Sou canto.
Sou flor. Sou encanto.
Sou sabor.

Sou Ponta Negra
Sou Teatro Amazonas
Sou tucumã, tucunaré
Sou farinha do uarini
Sou tacacá, pirarucu
Sou pimenta murupi.

Sou tapioca, pé-de-moleque
Pupunha, tambaqui
Sou luar em meio à mata
Por do sol. Um belo horizonte
Sou cabocla, de pele morena,
E também branquicela
Sou índia de negros cabelos.

Sou estrela candente
Nas noites de céu brilhante
Sou o meu senhor
Condor! Condor!
Sou natura, natureza
Ah, quanta beleza!
Sou aluá, quando o mês é junho
E também sou Boi-bumbá.

Sou Amazonas, do mundo
Debruço-me sobre o meu rio
Onde Solimões e Negro se abraçam
Espetáculo das Águas:
Não se misturam, nem se separam,
Depois, cada qual segue o seu curso.
Pororoca! Pororoca!
Como é doce amar!
Oh! Caymmi, Jorge Amado,
Como é doce morrer no mar.

Agora, sou banzo
Saudades!
Cadê minha fogueira?
Onde está meu arraial?
As brincadeiras, balões e bandeiras?
(Sumiram. Não os vejo no quintal)

Meu “Luz de Guerra”?
Meu “Corre-Campo”?
Meu “Teimosinho”?
As Pastorinhas, do Mestre Maranhão?
A “Tribo dos Andirás”?
O “Cacetinho”?
Rê-rê-rê? Carmen Doida?

(Encantaram-se! - poetiza Rosa)

Cadê nossas praças?
Ponte da Bolívia?
Cachoeira do Tarumã?
Cachoeira das Almas?
(Muita calma! Muita calma!)

Cadê Moranguinho, Boate dos Ingleses, Ideal,
Rio Negro, Fast Clube, São Raimundo,
Sulamérica, Libermorro, Nacional,
Marialvo, Pedro Hamilton, Sula, Beto e Téo,
Zezé, Pretinho e Pepeta?
(Passaram! Tudo passa!)
(Saudade – é o amor que fica!)

Cadê Guarany, Polytheama, Odeón, Éden,
Confeitaria Avenida, Almanara, Pinguim,
Chapéu de Palha, Acapulco, Palhoça, Cabana dos Barés?
As batidas de limão, coco, maracujá,
Nas “Brincadeiras” em casas de amigos?
(Tudo... tudo se perdeu!?)

Hevea braziliensi
Roubaram-te na maior sem-vergonheza
Homens do além-mar
Barões da Borracha
Roubaram dos seringueiros a delicadeza
Num tempo de mocidade
E tudo se perdeu...
Perdemos nossa identidade
Covardes! Covardes!
Foram-se. Escafederam-se.

Nenhum sinal de sarda
Nem olhos azuis
Ou sobrenome britânico
Nada ficou!
Nada ficou no lugar.
Aqui e acolá um prédio:
Reservatório do Mocó, Alfândega
O Palácio da Justiça
(Que “assegurava” seus “direitos”)
Escombros de um Cabaré chamado Chinelo
(Ah, quanta lascívia!)
O clube de tênis bosqueado, privado
A ponte de ferro, ou ponte da Cachoeirinha
(para as orgias do outro lado do rio)
Alguns palacetes onde se refestelavam
Metros de esgoto
E o Rodo (Roadway)
Porto de lenha! Porto de lenha!
Tu nunca chegarás a Liverpool,
Londres, Escócia.
Quo vadis? Quo vadis?
Aonde vais, homem?

SUANAM

Ó, minha mana, Manaus
Fundaram-te – e nascido já havias,
Suanam,
Antes que aqui chegasse alguma nau.

Já existia povo, povo existia
Em teu entorno, à margem dos rios:
Baré, Manaó, Baniba, Passé
Adorada terra, mãe dos nossos ancestrais.

Ouvi dizer, também, Suanam
Que aqui esteve o povo hebreu
A mando de Salomão, filho de Davi, o rei
Ouro! Ouro, maninha! – levaram daqui
Para adornar o Templo,
Aquele, do Muro das Lamentações.

Tempo depois veio o europeu
E arrancou teus filhos para a escravidão
Teus filhos guerreiros, deste chão
Deitando o véu da noite em teu céu.

De Ajuricaba, valente índio Manaó,
Nada mais se ouviu dizer,
Desde o dia fatídico em que partiu, escravizado
O pouco que se soube, não se contou verdade.
Triste fado!

Foi o teu âmago, Ana, ferido
Por abutres, desterrados, facínoras, condenados
Vindos das terras de Portugal e dalém mar.

Ao genocídio covarde, infame
Seguiu-se à exploração de tuas riquezas.
Tudo te saquearam, maninha,
E também as chamadas drogas do sertão
Só não te roubaram a tua honra.

Os anos se foram entre as agruras dos dias e das noites,
Em meio aos gemidos do vento que soprava,
Como que trazendo em ecos o canto dorido
De teus filhos amados, arrebatados de teu colo.

E tu, Suanam, devastada,
Renasces das cinzas, tal Fênix
É o apogeu da borracha!
(Panair, Booth Line, Roadway, Teatro Amazonas
De Manaus para o mundo!)
Período fausto, no entanto, apenas para o estrangeiro
A ti e a teus poucos filhos, mais os migrantes nordestinos,
A labuta diária. Essa era a tua sina.


Mas, qual nada, maninha
A febre durou algumas décadas, apenas.
Esteve por aqui um inglês, cujo nome nem me lembro
Astuto, ladrão, à sorrelfa,
Roubou-te tantas mudas na calada da noite, ou do dia
Ninguém sabe. Ninguém viu
(E sempre assim nestas terras Brasis).
Roubou-te tua semente – o ouro branco
Hevea braziliensi.

Anos de escuridão se seguiram aos desatinos
Teu céu foi de novo coberto pelo véu da noite.
Mas novo ciclo de riqueza se vislumbra.
Aqui, aportam os nordestinos,
Fugindo de suas terras queridas,
Da aflição da grande seca.

Nada é como antes, de novo.
Fim da Segunda Guerra. Paz no mundo!
Fim do teu (quase) segundo apogeu.

Maninha, tu, morena, linda, cobiçada,
Agora, andas tão pálida, desolada.
Os palacetes desabitados,
As ruas cheias de fantasmas a desfilar
Foram-se os que nada mais tinham para te sugar
Fim do terceiro ato. Cerram-se as cortinas do teatro.

Mas, dizia a lenda:
Estas terras ainda darão o que falar um dia.
Idos de 1967. Militares no poder. Ditadura!
Castelo Branco, o marechal presidente,
Cria uma zona de livre comércio.
Quer povoar a Amazônia. E povoa.
Manaus tornou-se uma zona.

Maninha, estás enferma, agora.
Todos esses anos te consumiram – inclusive a memória.
Por isso te faço este relato, nesta hora
Que me pediste em um instante de lucidez.

Não sei se rio, ou se choro.
Tantas vezes pensei em partir
E, quando estive peregrinando,
Logo quis voltar pra teus braços
São nossos fortes laços, maninha.
Sangue dos Manaó. Povo aguerrido.
Também sei, vou terminar meus dias aqui
Junto de ti, Suanam. Manaus, de trás pra frente,
Com as costas viradas para o nosso rio, o Negro,
Ou, quem sabe, um dia, um de teus filhos resolva,
Tornar o teu rosto para as tuas águas, maninha,
Para que possas, então, sentir o Sol a te beijar
E descanses em paz, o descanso das mães,
Mãe dos Deuses!

ALÔ, AMIGOS, VOLTEI!!!!

Estou há exatamente 1 mês e 1 dia sem nada postar no Blog. Viajei, adoeci, fiquei sem net por mais de 15 dias. Nesse período, muitas coisas aconteceram comigo, no Brasil e no mundo. Participei de um concurso de poesias promovido pela Academia Amazonense de Letras, intitulado MANAUS POESIA, onde três poemas foram escolhidos como os melhores e serão premiados com R$ 3.000,00, cada, no próximo dia 28, na sede da AAL. Participei com dois poemas, mas não fui vencedora (pela Academia, é claro, pois eu mesma me senti vitoriosíssima por ter participado, pela primeira vez, de um concurso como esse). Vou postar no Blog, agora mesmo, num outro artigo, os dois poemas com os quais participei. Quem for da minha geração vai entender algumas coisas escritas no poema MESTIÇA.
Ah, não esqueçam que hoje tem ET BAR, fervilhando nas noites de sexta-feira, com muita gente bonita e a fim de ser feliz. Kokó Rodrigues acertou o rumo de lá e tem sempre dado uma palinha. Sexta-feira passada foi uma das melhores noites, dentre as melhores das melhores. Confiram.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

FRAGMENTOS/CITAÇÕES/FRASES

1. Eu não tinha esse rosto de hoje,
assim, calmo, assim triste, assim magro,
nem estes olhos tão vazios,
nem o lábio amargo.
(Cecília Meireles)

2. Posso não concordar com nada do que dizes, mas darei a minha vida pelo teu direito de dizê-lo.
(Voltaire)

3. O valor de uma obra jamais poderá advir da sua perfeita obediência a quaisquer regras.
(Vítor Manuel de Aguiar e Silva)

4. Ah, se eu pudesse agora...
Como não posso, vou sonhando
Um dia poder
Viver, o que agora sonho e não posso.
(Rô Campos)

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

SOBREVÁRIASCOISAS

1. FRASE DO DIA: Hoje, não me decepciono mais com ninguém, porque não espero nada das pessoas. A vida e o tempo foram meus mestres. Não vou dizer que tudo sei, pois a vida é uma escola permanente, mas algo me faz acompanhar Nietzsche: a estupidez humana é infinita.

2. DILMA ainda nem assumiu e o engraçadinho do Sarney e alguns do PSB, que saíram governadores nas urnas, já começam a colocar as manguinhas de fora insinuando o desenterro da famigerada CPMF. Dilma já está se saindo como uma santinha, dando a entender que não tem nada a ver com isso. Tá bom!

3. Sexta-feira não pude ir ao show do Tavynho Bonfá e Victor Biglione, no Açaí & Cia, por motivos de saúde em família, exatamente no horário do show. Mas soube que foi um arraso.

4. Mas deu tempo pra passar no ET BAR, no Boulevard Amazonas. Lotadíssimo, como há muito tempo não víamos. O Bar, que funciona até às 4:30 da madrugada, já tinha todo o estoque de bebida esgotado às 03:30h.
A galera parece até haver combinado um encontro. Passaram por lá Kokó Rodrigues e a mulher, Alessandra, Nicolas Júnior, Robertinho Chaves, Papaco, Aguinaldo do Samba, Mestre Arnoldo, e o insubstituível Osmar, dentre outros.

5. E, no próximo final de semana, dias 13 e 14 (sábado e domingo) a primeira versão da nossa VIRADA CULTURAL, promovida pela Fundação Municipal de Cultural, a MANAUSCULT, é a grande pedida.

Uma boa semana para todos nós. E vamos começar a nos movimentar contra essa questão da CPMF. O governo que trate de gerir bem, e muito bem mesmo, o dinheiro público que tem disponível para a saúde. Chega de imposto. Chega de encher o cofre do Estado Brasileiro para corrupto meter a mão.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

SOBREVÁRIASCOISAS

l. Hoje, sexta-feira, 05 de novembro de 2010, tem o sensacional show "CORES & SONS", com exposição do artista plástico amazonense Arnaldo Garcêz, seguida de show com os artistas nacionais TAVINHO BONFÁ, VÍTOR BIGLIONE e participações dos amazonenses ZECA TORRES (O TORRINHO) e CÉLIO CRUZ. Início às 20:30 horas, no AÇAÍ & CIA, Rua Acre, 98 - Vieiralves. Couver artístico individual de R$ 20,00 (vinte reais), por pessoa. Eu vou estar lá, com certeza.

2. E vem aí, dias 13 e 14 de novembro, a primeira VIRADA CULTURAL DE MANAUS, uma promoção da MANAUSCULT, com vários pontos 'distribuídos pela cidade (PARQUE DOS BILHARES, PRAÇA DA SAUDADE, JORGE TEIXEIRA, ELDORADO E AVENIDA DO FUTURO), participação de artistas nacionais, como TONI GARRIDO, WILSINHO SIMONAL, FERNANDA PORTO, dentre outros, e mais de 100 artistas amazonenses, como ZECA TORRES (TORRINHO), MÁRCIA NOVO, NELY MIRANDA, BANDA ESSENCE, JJ MESCLADO. Se liguem na Virada. Brevemente a MANAUSCULT estará divulgando a programação e eu, aqui no nosso blog, a repassarei para vocês.

3. Ontem à noite dei um pequeno giro pela cidade. Findei a noite no Moinho Drinks, na Rua Major Gabriel, quase esquina com a Av. Airão, ao lado da Pizzaria Lopiano. Ambiente maravilhoso, climatizado na medida perfeita, e uma cervejinha absolutamente no ponto. Carlito, ao violão, acompanhando a queridíssima Olinda. Participação de Cida, em voz e violão. Lugarzinho muito gostoso. Confiram.

4. Não esqueçam que hoje também tem ET BAR (o Bar da Loura), no Boulevard Amazonas, a partir das 23:00 horas, até às 04:30 da madrugada. TOC TOC Delícias & Chopp, na Av. do Turismo, abrindo às 19:00 horas, com música ao vivo a partir das 22:00."Show de Zezinho Correia no Bar e Restaurante O Fino da Bossa, que abre a partir das 20:00h. Inf: (92) 9226-4410. Aproveitem para conferir o novo O Fino da Bossa. Estivemos lá no sábado passado, comemorando o aniversário do Fino. Estiveram presentes músicos da cidade, de A a Z, num show maravilhoso. Tem também o Corsário Music, na Av. do Turismo, próximo à Budega da Loura, com muita MPB e pop. Bar aberto a partir das 19:00 horas. Cerveja geladíssima e tira-gosto de dar água na boca (o de charque não tem igual).

sábado, 30 de outubro de 2010

PELA SAÚDE DA DEMOCRACIA E DO BRASIL

1. Vamos lembrar de um detalhezinho importante para amanhã, dia 31, segundo turno das eleições para escolha do Presidente da República? Nada mais salutar, mais fortalecedor da democracia, do que a alternância no poder, como bem frisou o candidato tucano José Serra, ontem à noite, no debate que houve na Rede Globo. Com a alternância você evita que grupos se eternizem no poder, prática que facilita muito mais o uso de mecanismos que levam à corrupção, mal esse responsável pela pobreza que grassa, já que o dinheiro que seria utilizado em prol da sociedade escorre pelo ralo hodiendo da corrupção. Além do mais, a História nos conta - e muito bem - qual o destino das nações em que dirigentes se perpetuaram no poder. É tirania, na certa. A gente perde nossas liberdades, conquistadas a duras penas ao longo de décadas. Além do mais, votando na chapa da situação, nós estamos dando o cartão verde para o grupo que está no poder, na verdade, uma Nota 10. E eu não sinto que seja isso que esteja realmente acontecendo no Brasil. Nós continuamos insatisfeitos com muita coisa, como a saúde, a educação, a segurança pública, as políticas públicas para a habitação, o transporte coletivo etc. O país avançou, é verdade, mas tem que avançar muito mais. Na saúde, então, nem se fala. Tem muita gente que não faz ideia do que seja a situação da saúde, hoje, no Brasil. Eu tenho vivido horrores junto a meus familiares e amigos que têm precisado usar o SUS. E o problema das drogas entre os nossos jovens? Eu também tenho tido experiências aterrorizantes com pessoas amigas, de cortar o coração. Tem ainda a questão do meio ambiente, que muita gente ainda não acordou para a seriedade da matéria. Podemos ao menos amenizar o resultado de tantas tragédias ambientais, cujos estragos maiores sempre ocorrem nos países pobres. Tome-se o exemplo do Haiti. Vamos colocar o estudo do meio ambiente na grade escolar.
Portanto, pela saúde da democracia e pela saúde do Brasil, no meu entender, nada melhor do que um ex-ministro da saúde. José Serra, 45.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

LEI DA FICHA LIMPA E OUTROS BABADOS

l.Até que enfim. STF, julgando processo de Jader Barbalho, decidiu que a LEI DE FICHA LIMPA é pra já, agora, ou seja, está valendo para as eleições de 2010. Jader Barbalho (Pará) foi pras cucuias, e, assim como ele, outras figurinhas carimbadas da política brasileira.

2. Sábado, dia 30, véspera das eleições do segundo turno, tem Feijoada no TOC TOC Delícias & Chopp, na av. do Turismo, a partir de 12:00 horas. Informações: (92) 3658-6260.

3. Amanhã, missa do 30º dia da partida prematura de nosso querido Carlos Genésio Braga Junior, às 19:00 horas, na Igreja Nossa Senhora de Nazaré.

4. E domingo, pessoal, vamos votar. Se porventura mais adiante as coisas não acontecerem como você imaginou, não se preocupe, não, pois daqui a 4 anos tem eleição de novo, quando poderemos despachar quem não fizer direitinho a lição de casa. E, como o voto é secreto, vou lhes dizer (que eu não sou baú, não pertenço a nenhum partido político, não sou nem nunca serei candidata a qualquer cargo político), pela Democracia, eu voto no SERRA. Alternância no poder é absolutamente salutar. Apego ao poder é perigoso e tentador. Parece coisa de ditador. Renovação, já!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

SENTIMENTO DE CULPA

Ontem à noite assistimos ao filme "A Ilha do Medo". Uma película intrigante, bem bolada, bem montada, que requer um pouco de atenção, para que a gente não perca o fio da meada. O que mais chamou-me a atenção, e que, possivelmente, poucas pessoas que o tenham assistido sequer perceberam, dada a sutileza e rapidez da cena, foi a abordagem do "sentimento de culpa", na película, um mal que aflige a humanidade, e o mundo parece que não está nem aí. É muito simples resolver a questão. Basta que deixemos de viver olhando apenas para os nossos umbigos e tenhamos também um olhar para o outro. Basta fazermos ao outro tudo aquilo que queremos para nós. Tudo o mais que se seguir, é consequência da própria vida, mas nossa consciência estará livre de remorsos, e só assim podemos suportar melhor as travessias desta vida. O sentimento de culpa é causa de grandes desatinos na vida humana, até porque, geralmente, não podemos fazer mais nada para corrigir determinado acontecimento. Melhor, então, é prestar mais atenção para isso tudo, evitando tanto sofrimento.
Em março ou abril deste ano, salvo engano, postei um artigo neste meu blog, após ter assistido ao filme Reine Sobre Mim. O tema era o mesmo. A esposa e filhos do protagonista haviam morrido naqueles atentados das Torres Gêmeas, em Nova York. Ele não se conformava pelo fato de que deixara de atender a tantos pedidos que ela lhe fazia, como reformar a cozinha da casa, por exemplo. Coisas simples, assim, que fazem a vida valer a pena. Detalhes. Preste atenção nos detalhes, nas coisas mais simples. Não deixe o egoísmo lhe corroer. Importe-se com o outro. Ninguém é feliz sozinho.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

SOBREVÁRIASCOISAS

1. Escrevo este, enquanto ouço a toada Madrugada Vadia, do querido Zeca Tocantins, cujo vídeo ele enviou-me pelo orkut, e eu, claro, já o incluí nos meus vídeos preferidos. Vá lá. Veja que coisa mais linda. Uma homenagem do artista, ao Maranhão e ao seu folclore. Vale a pena conferir.

2. Que pena que perdi, no sábado passado, a apresentação do pianista e maestro João Carlos Martins, no Teatro Amazonas. Entrada franca!!!! Estava em Belém do Pará. Amo muitíssimo esse grande artista brasileiro e admiro-o pela sua perseverança, um exemplo a ser seguido por todos aqueles que se sentem derrotados e sem coragem para enfrentar e destruir os seus fantasmas. Michael Jordan, célebre ex-jogador de basquete dos Estados Unidos, dentre suas pérolas, tem uma frase que diz assim: "Eu posso aceitar o fracasso, mas eu não posso aceitar não tentar". E outra que diz, mais ou menos assim: "O homem não fracassa quando ele perde; ele fracassa quando desiste".
Diante de tanta perseverança desse grande artista brasileiro,inclusive em nome da vida e da música, escrevi um artigo sobre ele no meu blog, acho que no mês de março.

3. E vem aí Tavinho Bonfá e Vitor Biglione, mais Arnaldo Garcêz, e participações do meu queridíssimo amigo Zeca Torres (o Torrinho) e Célio Cruz, dia 05 de novembro, sexta-feira, no Açaí & Cia., a partir das 20:30 horas, iniciando com a exposição do artista plástico amazonense Arnaldo Garcêz, seguindo-se com o show musical desses incensados músicos brasileiros. Um show à parte. Couver apenas R$ 20,00 (vinte reais), por pessoa. Eu vou estar lá.

4. Gente, mas essa questão da adesão do Chico Buarque à campanha da Dilma foi mesmo pra acabar. Fãs de norte a sul, leste a oeste deste país estão estarrecidos. Confesso que não ouvi o depoimento de Chico na propaganda da Dilma (peguei apenas a parte em que percebi que ele havia aderido à campanha, dentre outros artistas), mas ontem, conversando com meu filho caçula, ele - também indignado -, me relatou exatamente quais foram as palavras do Chico. Hoje, lendo os meus jornais atrasados (porque eu estava viajando), deparei-me com a coluna da Mazé Mourão, em A Crítica de quinta-feira passada, inconsolável com o nosso Muso. É, nada é perfeito!

ETERNIDADE

O futuro é certo,
Afirmou-o Whitman.
Certo é que, hoje, dormirás, ou não dormirás,
E amanhã, é certo que acordarás, ou não acordarás.
Certo é que tu és tu
E mesmo que não sejas tu,
Certo é que és, mesmo não sendo.

O futuro é certo,
E certo é que serás, dia a dia.

Não és apenas caule, flor e fruto.
Raiz, fincada nas profundezas da argila, também és.
Raiz, que ao chão da terra se agarra e suga,
Fixando o vínculo indissociável com a natureza mãe,
Que, fecundada, te faz germinar e te nutre.

Se,acaso já não fores, neste mundo,
Outro broto surge e cresce,
E continuarás sendo, aqui ou alhures,
Na imortalidade da alma, que não fenece,
E também no jardim da eternidade das flores que plantaste.

RÔ Campos, em 26/10/2010

domingo, 24 de outubro de 2010

ANIQUILAÇÃO

Já estou na cidade.
Meu filho me faz os relatos
Ah, esse traste, traiçoeiro,
Nunca foi convidado,
E vivia calado, nos cantos da casa,
Até tomar posse de nossa mãe.

Tranquem a porta, por favor,
Ponham cadeado no portão.
Ela ainda tem um rosto,
Muitos rostos ela não tem mais.
Tranquem a porta, ela não pode sair,
Pode ser pra nunca mais.

Soube outro dia, contou-me uma filha,
A triste história acerca de seu pai.
Ele, também, não tinha mais muitos rostos,
Foi até ao quintal - disse-lhe -, pra buscar uma folha.
Agora, nem folha, nem pai,
Tudo desapareceu num silêncio mordaz.

Tranquem a porta, por favor,
Tirem o fósforo de suas mãos,
As facas, tirem também.
Seus olhos já entraram no túnel
Onde há ausência de luz.
Assaltou-lhe a escuridão.

Tranquem a porta, por favor,
Ponham cadeado no portão.
Não a deixem um minuto sozinha,
Ela já está só, em meio à multidão.
Ela própria é um nada, essa multidão sem rosto,
No quarto vazio de sua memória aniquilada.

Tranquem a porta, por favor,
Ponham cadeado no portão.
Ela, agora, não é mãe, nem filha, nem irmã, nem vó,
Ela, quem é, nem sabe.
Pode ser uma flor, mas não sabe o que é uma flor,
E também não sabe quem são vocês, filhos e netos dela.

Tranquem a porta, por favor,
Ponham cadeado no portão.
Por Deus, eu imploro, fechem tudo,
Mas não fechem seus corações,
Não achem graça, também não.
Não há nada de engraçado no vão do nada.

RÔ Campos, 25/10/2010

PROCURA-TE, E TE ACHARÁS

Cheguei. Sinto o cheiro da casa, dos cachorros, das plantas

Sinto o meu cheiro, que aqui ficou quando saí.

Andei pelas terras do norte, conheci pessoas,

Conversei com o artista, o feirante, o maluco na praça, o taxista.

Também com quem sequer abriu a boca, conversei. Muito me disse.

Enfurnada em um quarto de hotel, li.

Devorei Oscar Wilde, Baudelaire, Walt Whiltman, Gregório e também Vieira, o padre.

Não mais estou esfomeada. Renovei minha alma.

Depois de Nietszche e Erasmo, a elogiar a loucura,

E de Montagne,com seus Ensaios - pensei

Quem mais me dirá, ninguém mais.

Erro fatal, sempre há mais. Por todo o sempre,

Sobre o que já foi dito, e esquecido,

Bem assim sobre o que se falou jamais.

(Ah, essas esquinas da vida!).

Há o rio que nunca secou - agora, seca demais

Há o amigo que sempre te bajulou - agora, foge de ti

Há o amor que nunca te quis - agora, vive a te procurar

Há alguem que não conhecias - agora, o destino te apresentou

Há o Sol, a Lua, as Flores, o Rio, o canto dos passarinhos

Há o brilho das estrelas, o sorriso da criança, enfim

Há também tu, dentro de ti.



RÔ Campos, 25/10/2010, 01:00h

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

PORTO DE LENHA

Este artigo escrevi sexta-feira passada, quando ainda estava em Belém do Pará. Somente agora, quando acabei de postar o poema "Procura-te, e te acharás", é que percebi que não havia sido postado, estando apenas em rascunho. Faço-o agora.

"Como falei há pouco,estou em Belém do Pará. Agora à noite, estive na Estação das Docas, entrei na livraria e comprei alguns livros maravilhosos.Adoro viajar. É justamente quando mais compro livros. Adquiri nada mais nada menos que Folhas de Relva, daquele considerado o maior poeta americano de todos os tempos,Walt Whitman; As Flores do Mal, do francês Baudelaire; De Profundis e Balada do Cárcere de Reading, de Oscar Wilde (estou doida pra devorá-lo) e O Domínio de Si Mesmo Pela Auto-Sugestão Consciente, do também francês Émile Coué (já comecei a lê-lo e até passei da página 50).

Bem, na Estação das Docas tomei sorvete de açaí e de sapotilha.Este último, ainda não conhecia,mas, é de tomar beijando.Maravilhoso.

Aí, me lembrei de uma situação em Manaus. Há dois finais de semana saí com minha mãe e duas irmãs, para darmos um passeio, tomarmos sorvete e comermos uma pizza, prato prediletíssimo de nossa madre. Mamãezinha,próxima dos 80 aninhos, é diabética.Fomos a Ghioto, no Parque Dez. A pizza, uma delícia.Mas suco? Ah,só havia de laranja,porque,segundo o garçon,a máquina de fazer sucos estava pifada. E refrigerante? Diet, apenas e tão-somente coca-cola. Pode?

Saímos da pizzaria e fomos à sorveteria Glacial,em plena praia da Ponta Negra, sabidamente um ponto turístico de Manaus.Sorvete diet? Nem por encomenda,tá bom!!!
Rumamos para a KIBON, na Djalma Batista.Mas lá,também,diabético não pode sonhar com sorvete.Havia um resto de sorvete light no fundo da cumbuca,que mais parecia, realmente, resto.Mas diet mesmo, nem pensar.

Que absurdo!, pensei. As estatísticas gritam sobre as pessoas, no mundo, acometidas pelo diabetes. Aqui em Manaus mesmo, além de minha mãe, tenho muitos amigos e conhecidos diabéticos. Manaus sediará uma Copa do Mundo e uma sorveteria instalada em plena praia da Ponta Negra, um cartão postal importantíssimo de nossa cidade, não coloca, à disposição, sorvete diet. Uma pizzaria instalada há, se não estou enganada, 7 anos, no Bairro do Parque Dez, servindo apenas suco de laranja, porque a máquina de fazer sucos pifou, é, convenhamos, como se fala na gíria, de lascar o cano. Coisas dos trópicos!"

Na Sorveteria Cairu, na Estação das Docas,aqui em Belém,além de haver uma variedade enorme de sorvetes, que a gente nem imagina que exista,verifiquei uns 6 sabores de sorvete diet.

Na Estação das Docas, você encontra reunidos,em um só lugar, por sinal muito bem localizado,o bom da gastronomia paraense (aí incluídos o açaí servido com os mais diversos acompanhamentos, como peixe frito, charque, camarão ou pirarucu, as maravilhosas tapioquinhas, tacacá, frutos do mar etc) loja de discos contendo nas prateleiras obras dos artistas locais e da Amazônia, e o fino do fino da música brasileira, principalmente do circuito alternativo, MPB, Bossa, Jazz e instrumental;livraria recheada de títulos maravilhosos da literatura universal e brasileira, artesanato, cervejaria, uma espécie de exposição, ou pequeno museu do porto de Belém, passeios fluviais diversos, diários, pela orla de Belém e para alguns pontos turísticos do entorno da cidade.

Todavia, em meio a esses contrastes entre as duas maiores capitais do Norte, notei, e não é de hoje, que em Belém há um verdadeiro abandono no que respeita ao entorno do Teatro da Paz, coisa que, em Manaus, é motivo de orgulho para todos nós.
A Praça da República, onde está localizado o também belíssimo Teatro da Paz, em Belem, vive entregue à sujeira e ocupada pela marginalidade. O Largo de São Sebastião, onde ergueu-se o templo maior da arte do Amazonas, é, hoje, digo sempre, como se fosse um pedacinho da Europa no meio da selva. Um luxo só, além de seguro. O Tacacá na Bossa, às quartas-feiras, tornou-se um point da cultura musical manauara. É bem verdade que o espaço, em si, ainda tem muito para ser aproveitado, já que, nos demais dias da semana, permanece ocioso. Mas o pior de tudo isso, mesmo, é o quesito "banheiro". É inconcebível que um espaço daquele, que diariamente recebe a visita de turistas do mundo todo, só conte (e olhe lá!) com dois banheiros imundos de duas lanchonetes/bares instalados no local. E, ainda que não fosse pelos turistas, nós, amazonenses, também merecemos respeito.

SOBREVÁRIASCOISAS

Mais de quinze dias nem nada escrever, numa maratona incrível. Até me programei para escrever sobre vários assuntos,mas o tempo voou. Vou pinçar algumas coisas, aleatoriamente,conforme vou me lembrando:

ADOREI: Estar novamente em Imperatriz, do Maranhão, a serviço da advocacia, foi maravilhoso. Aproveitei o mais que pude. Conheci pessoalmente o artista, escritor, poeta, cantor e compositor Zeca Tocantins, que trabalha e vive em Imperatriz e mora do outro lado do rio Tocantins,em Bela Vista/TO.Fiz a travessia do Tocantins em um barquinho, enquanto Zeca me aguardava. Ao retornarmos,fomos numa pequena voadeira. Ele perguntou-me se eu tinha medo. Mas como, uma caboquinha nascida na beira do igarapé, sob a ponte de São Raimundo,onde nos banhávamos na infância, quando a água faltava, e saíamos a carregar " lata dágua na cabeça"???
Lindo, o rio Tocantins,com suas águas mansas.E o por do sol é algo indescritível.Mágico!
Trago na minha bagagem dois CDs desse grande artista brasileiro, livros de poemas e outras obras suas,além da gratidão por sua generosidade e atenção.
Lucevilson de Sousa gravou, para o seu DVD (cujo show aconteceu dia 6 de setembro passado, no Teatro Amazonas), a música Lembrança, de autoria de Zeca. Belíssima!

IMPACTEI-ME: Assistia descomprommissadamente ao programa político de segunda ou terça feira desta semana, no quarto do hotel em Imperatriz, quando percebi que um grande número de artistas brasileiros participavam da campanha de Dilma. O impacto maior foi ver Chico Buarque de Holanda, ali. Mas onde, já, que Chico Buarque vai fazer a cabeça de cabeças pensantes?? Até agora estou conversando cá, com os meus botões, de quem - e para quê, foi essa tacada.

CANDINHO E INÊS: Que pena que não estou aí e perdi, ontem, o show de Candinho & Inês, no Tacacá na Bossa, acompanhados,dentre outros músicos, pelos filhos Marcos e Candinho Júnior, com participação, também,da flhota Bárbara. Não tenho dúvidas de que foi um arraso.

Agora, vou parar, porque tenho que jantar. Ou, quem sabe, tomar um tacacá supimpa, aqui,no coração do Pará,em Belém.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

PRA NÃO ESQUECER

Pra Não Esquecer

RÔ Campos

Você se foi
Pra muito longe
Pra muito além do que eu possa saber
Você se foi
E eu nem pude te dizer adeus
Adeus! Adeus!

Mas eu sei
Nosso amor foi tão bonito
Nunca houve alguém tão querido
Tão longe e tão perto
Tão longe e tão perto.

O tempo passou, de repente
Você ressurgiu em minha vida
Livre, livre
Só para mim, você me disse
Naquela noite quente
Mas eu tive medo
Deixei o passado, no passado
Te dei um abraço
E saí.

Agora, você se foi nessa viagem infinda
Soube na manhã de quinta
Meus olhos corriam pelas letras do jornal
O coração saltava
Não podia ser você. Não podia...

Fugi o dia inteiro das notícias
Mas não tive saída
À noite, meu celular chamou
Olhei para o visor, desabei
Tudo se confirmou.

Era você que se tinha ido
Sem levar contigo o calor dos beijos que não te dei
Queria voltar atrás, no tempo
Esquecer o medo
Viver contigo o que neguei.

Mas, eu sei, você vai lembrar de mim por onde andar
E eu, aqui, não tem outro jeito
Vou viver com essa dor no peito
Mas vou sorrir, de vez em quando
Lembrando do teu sorriso lindo
Do teu falar, tão manso
Os olhos, delicadamente, brilhando
Do teu modo de ser e de viver
Amando.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

RENOVAÇÃO

Renovação
Candinho e Inês
Composição: Candinho


É hora de jogar as coisas velhas, fora desse quarto,
Tomar nas mãos o leme desse barco,
Sair da tempestade, pôr ordem no tempo,
Sair de contra o vento e, cheio de vontade,
Sair desses porões e cantar ao céu, de novo;
A voz já não agüenta e o peito já não cabe mais.

É hora de tomar nas mãos de novo a nossa geografia,
Pintar de liberdade o verde desse mapa,
Contar de novo a história como há muito tempo
Já não se ouve mais nem se contou verdade,
Bater na mesma nota e na mesma canção,
Cantar de braços dados, levantar a mão.

Canta, coração,
Por essa voz que canta em mim,
Esse desejo sem medida e paciência,
Quase já desesperado de esperar
Todo esse tempo e, esse grito
Sufocando a garganta sem parar.

Canta, coração,
Por essa voz que canta em mim,
E esse desejo sem medida e paciência,
Quase já desesperado de esperar
Todo esse tempo e, esse grito
Sufocado na garganta sem sair.


Comentários: Pois é, gente, como bem diz a letra belíssima dessa música de composição do nosso querido cantor e compositor amazonense Candinho, renovar é sempre salutar para a nossa saúde física, mental e financeira. A perpetuação de uma pessoa e ou partido, no poder, jamais será saudável. E isso a História nos conta, com todas as letras. O poder, por si só, seduz e fascina. O apego ao poder, cega.
Renovar, sempre e sempre, é a medida mais certa. As coisas ruins não criam raízes.
E é tudo novo, de novo.

VITÓRIA DA DEMOCRACIA

A MAIORIA DISSE NÃO! A VERDADEIRA CAMPANHA COMEÇA HOJE. AGORA, QUEREMOS SABER DAS PROPOSTAS, DOS PROJETOS PARA O NOSSO PAIS (QUESTÕES RELACIONADAS À DESIGUALDADE SOCIAL, DISTRIBUIÇÃO DE RENDA, MEIO-AMBIENTE, O INDÍGENA, A MULHER, A CRIANÇA E O IDOSO, SAÚDE, EDUCAÇÃO, SEGURANÇA PÚBLICA, REFORMA TRIBUTÁRIA E DA LEGISLAÇÃO ELEITORAL. COISAS SIMPLES E QUE INFLUEM DIRETA E LITERALMENTE NA QUALIDADE DE VIDA DE TODOS NÓS, COMO ACABAR COM A PATIFARIA E O SERVIÇO TERCEIROMUNDISTA DAS TELEFÔNICAS MÓVEIS (CELULAR), INTERNET, MOROSIDADE DA JUSTIÇA, PRECARIEDADE DOS SERVIÇOS DE SAÚDE PÚBLICA ETC ETC ETC) É ASSIM QUE A COISA FUNCIONA. NADA DE SIMULAÇÃO E OU DISSIMULAÇÃO. QUEREMOS E EXIGIMOS UM PAÍS MELHOR PARA NÓS, NOSSOS FILHOS , NETOS, BISNETOS, TETRANETOS E ASSIM POR DIANTE.
DEFINITIVAMENTE, TEMOS QUE DIZER NÃO À CORRUPÇÃO, ESSE RALO POR ONDE ESCORREM NOSSOS ANSEIOS DE UMA VIDA MELHOR.
O VOTO, TEMOS O VOTO PARA, PELO MENOS, TENTARMOS MUDAR UMA SITUAÇÃO COM A QUAL NÃO CONCORDAMOS. VOTO NÃO SE VENDE. VENDER VOTO EQUIVALE A VENDER-SE. E VENDER A PRÓPRIA VONTADE, O PRÓPRIO DIREITO DE ESCOLHA, É TER-SE COMO ALGUÉM QUE POUCO OU NADA VALE. PIOR, AINDA: O PREÇO PAGO É ABSOLUTAMENTE IRRISÓRIO DIANTE DA RESPONSABILIDADE DA ESCOLHA COLOCADA EM NOSSAS MÃOS. E O DINHEIRO PELO QUAL VOCÊ SE VENDE, COM CERTEZA NÃO É UM DINHEIRO LIMPO, GANHO COM O TRABALHO. E, AFINAL, VENHAMOS E CONVENHAMOS: ESSA MERRECA NÃO VAI MUDAR A SUA VIDA. AO CONTRÁRIO DO ESPERTO QUE PAGOU A MERRECA PELO SEU VOTO. VAI GANHAR UM DINHEIRÃO, PASSAR ANOS RECEBENDO ESSA BOLADA, MAMANDO NAS TETAS DOS COFRES PÚBLICOS, BENEFICIANDO PARENTES E DEMAIS APANIGUADOS, POUCO SE LIXANDO COM O SEU SOFRIMENTO.
PORTANTO, VAMOS ACOMPANHAR OS DEBATES. PROCUREMOS SABER SOBRE A VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL DOS DOIS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. PROCUREMOS SABER COMO CADA UM DELES DIRIGE SUAS VIDAS PESSOAIS E PROFISSIONAIS, INCLUSIVE COMO PESSOAS PÚBLICAS. O QUE PENSAM SOBRE OS ASSUNTOS IMPORTANTÍSSIMOS DO DIA-A-DIA. AÍ, SABEREMOS COMO DIRIGIRÃO O NOSSO PAIS, ADMINISTRANDO NOSSAS NECESSIDADES E INTERESSES.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

ESTRELA SOLITÁRIA

Ela é uma estrela
Solitária, espia a lua, ao lado dela
Tantos céus já iluminou
Tantos mares!

Ela é uma estrela
Solitária,intrigante
Cintilante no vasto escuro
A solitude que tanto fala.

Ela é uma estrela
Solitária, singular
Tão sozinha na imensidão do céu
Tão completa em seu abandono.

Ela é uma estrela
Solitária, bela
Branca, amarela, azul, vermelha?
Não sei sua cor. É brilhante!

Ela é uma estrela
Solitária, inquietante
Tantos tetos já furou
Tantos chãos pisados salpicou.

Ela é uma estrela
Solitária, na infinitude celeste.
Assim sigo eu, debalde, às vezes
Num mundo que não me compreendeu.

RÔ Campos - 30/09/2010

domingo, 26 de setembro de 2010

SOBRE VÁRIAS COISAS

1. Ainda sobre os descalabros do presidente Lula, vale a pena transcrever uma frase de François-Marie Arouet (Voltaire):

"POSSO NÃO CONCORDAR COM NADA DO QUE DIZES, MAS DAREI A MINHA VIDA PELO TEU DIREITO DE DIZÊ-LO"

(Voltaire foi escritor, ensaísta, deísta e filósofo iluminista francês, conhecido pela sua perspicácia e espirituosidade na defesa das liberdades civis, inclusive liberdade religiosa, tendo produzido obras em quase todas as formas literárias. Foi um defensor aberto da reforma social, apesar das rígidas leis de censura e severas punições para quem as quebrasse.
Voltaire foi um, dentre muitas figuras do Iluminismo (juntamente com John Locke), cujas obras e ideias influenciaram pensadores importantes, tanto da Revolução Francesa quanto da Americana.

2. "O VALOR DE UMA OBRA JAMAIS PODERÁ ADVIR DA SUA PERFEITA OBEDIÊNCIA A QUAISQUER REGRAS"
(Vítor Manuel de Aguiar e Silva, professor, escritor e poeta português). Extraída da obra Língua e Literatura, de Faraco & Moura, vol. 1º, 2º grau - editora Ática)

3."QUEM ESCUTA COM O ESPÍRITO, E NÃO COM O OUVIDO, PERCEBE OS SONS MAIS SUTIS. OUVE O SILÊNCIO, QUE É O MAIS PROFUNDO DE TODOS OS SONS, COMO BEM SABEM OS MÚSICOS. PORQUE O SILÊNCIO PERMITE ENTRAR EM CONTATO COM UM OUTRO EU, QUE SÓ EXISTE QUANDO NOS VOLTAMOS PARA NÓS MESMOS"

(Betty Milan,psicanalista e escritora/acompanhe sua coluna em:www.veja.com/bettymilan

4. "DIGA A TODOS QUE VOCÊ É O MAIOR INTÉRPRETE DE BACH. HÁ TRINTA ANOS DIGO QUE SOU O MAIOR PINTOR DO MUNDO, E JÁ TEM QUEM ACREDITE"

(Salvador Dali, pintor espanhol, para João Carlos Martins, pianista brasileiro que perdeu o movimento das mãos e renasceu como maestro, num restaurante russo em Nova York, após um concerto que apresentou, ao qual Salvador Dali assistiu). Extraída da entrevista de João Carlos Martins à Revista VEJA de 29/09/2010, pág. 109

LIBERDADE AINDA QUE TARDIA!

ATENÇÃO! ATENÇÃO! ATENÇÃO

Estamos todos muito calados.Escaldados com essa coisa de política, campanha etc. Parece que estamos aprendendo a ficar de observador, conversando cá com os nossos botões. Mas, hoje, a uma semana da votação, sinto-me na obrigação de transcrever abaixo alguns trechos/citações retirados da Revista VEJA, de hoje. Vale a pena refletir sobre este momento que estamos vivendo no país. Não existe, no mundo, democracia sem uma imprensa livre. Deus nos livre de uma Cuba, Coreia, Venezuela ou coisa que o valha. Olha a Argentina aí, minha gente, tirando uma casquinha...

1. 'ESTAMOS À BEIRA DO PERIGO DE UM GOVERNO AUTORITÁRIO, QUE VAI PASSAR POR CIMA, COMO JÁ ESTÁ PASSANDO, DA CONSTITUIÇÃO E DAS LEIS"

( frase dele, Hélio Bicudo, jurista, nada mais, nada menos do que um dos fundadores do PT. Ele mesmo leu o Manifesto no Largo São Francisco, em frente à faculdade de Direito, em São Paulo, contra a escalada autoritária do governo Lula. O grupo incluía, além de representantes históricos da esquerda,como o próprio Hélio, nomes como o arcebispo emérito de São Paulo, dom Paulo Evaristo Arns, e os ex-ministros da Justiça Paulo Brossard, Miguel Reale Junior, José Carlos Dias e José Gregori. Todos preocupadíssimos, porque depois que o leite entornar, já era))

2. 'CONVÉM LEMBRAR QUE LULA JAMAIS CRITICOU O TRABALHO JORNALÍSTICO QUANDO AS INFORMAÇÕES TINHAM IMPLICAÇÕES NEGATIVAS PARA SEUS OPOSITORES"

(Nota da Associação Nacional de Jornais sobre os ataques do presidente à imprensa)

3. "É LAMENTÁVEL QUE O MAIOR LÍDER DA NAÇÃO TENHA ESSE TIPO DE POSTURA EM RELAÇÃO À IMPRENSA. A IMPRENSA DEVE SER LIVRE PARA FAZER SEU PAPEL DE DENUNCIAR"

(Ophir Cavalcante, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil?

4. "O PT, QUANDO FOI CRIADO, SE OPUNHA AO CORPORATIVISMO HERDADO DO FASCISMO E DE GETÚLIO VARGAS. NO PODER, VEMOS QUE ELE AMPLICOU ESSE CORPORATIVISMO".

(Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República, em entrevista a O Estado de S. Paulo)

5. "HOJE, NO BRASIL, OS INCONFORMADOS COM A DEMOCRACIA REPRESENTATIVA SE ORGANIZAM PARA SOLAPAR O REGIME DEMOCRÁTICO"

(Do Manifesto em Defesa da Democracia, assinado por juristas, intelectuais e artistas).

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

SOBREVÁRIASCOISAS

1.Escrevi um poema ontem à noitinha e, no penúltimo verso, larguei um "Confesso que Vivi! Depois, reli alguns livros de poemas de Pablo Neruda (eu simplesmente adoro devorá-los sempre e sempre). De repente, li que ele havia morrido exatamente dia 23 de setembro (ontem, portanto), há 37 anos. Eu não me recordava (o alemão me persegue!), mas fiquei impressionada com essa "coincidência". Pablo Neruda, iluminado, encantador. Um dos maiores poetas latino-americanos, famoso por sua militância política em prol dos movimentos libertários. Confesso que Vivi é o título de seu livro de memórias. Quem ainda não o conhece, faça-o. É mágico!

2. Esse final de semana está pra lá de movimentado. Hoje, show de reagge com o nosso querido Cileno, Dagô Miranda & cia, no Ao Mirante. Imperdível! O melhor do samba de raiz no Espaço Quintal, já no seu terceiro ano reunindo a nata da nata, começando às 18:00 horas. Meu querido amigo Renatinho Almeida, n'O Chefão. Robertinho Chavez na Happy Hour do Toc Toc Delícias & Chopp, a partir das 19:30h, com o melhor da MPB. A sexta-feira tradicional do ET BAR, no Boulevard Álvaro Maia. O 4º dia do Festival de Música do Amazonas, no Teatro Amazonas, a partir das 19:00 horas, com entrada gratuita. E amanhã, a grande noite de premiação, com show de encerramento a cargo de Pedro Mariano (filho da Elis Regina e de César Camargo Mariano), no Largo de São Sebastião. E depois? Ah, João Bosco, no Studio 5, pelo Projeto MPB PETROBRÁS. Nós estaremos todos lá, com certeza.

3. Zeca Torres de férias no Rio de Janeiro, matando a gente de saudade. Pereira, ontem, esteve se apresentando em Parintins dos Parintintins. E a Quarta-feira do Tacacá na Bossa já virou point dos artistas de Manaus. Depois? Papo ligeiro no Bar do Armando. Em seguida? TOC TOC Delícias & Chopp, com a Quarta Alternativa, rolando atualmente um pop rock muito gostoso de se ouvir.

Um final de semana maravilhoso para todos nós!!!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

DE RIO-MAR A SERTÃO

Rachou meu chão, meu pai
Rachou meu chão, de novo
E tantas outras vezes, virão
De onde há de sair o pão, meu pai?
De onde há?

Foi assim, em outra ocasião
Não faz muito tempo, não
Precisei caminhar léguas em busca de água, do pão
Os pés ardiam, pareciam descalços
Sob o mesmo sol que nos dá vida, e agora nos castiga
Onde outrora era um rio, quase um mar, meu pai
Hoje, é sertão.

Minha canoa ressecou, encalhou frente à choça que nos abriga
Meu curumim chora, chora
Foi-se nossa única vaquinha
Sede, a causa da morte
Tendo a fome como agravante
Não há mais tetas, nem leite pra tomar
Nem a vaquinha pra correr, brincar
E nós, aqui, meu Pai, no meio do fim do mundo
(Onde tantos forasteiros acorreram, em busca do Eldorado)
Entregues à nossa própria sorte, sem um norte.

Rachou meu chão, meu pai
Rachou meu chão, de novo
Meu coração agora chora e sangra
Onde antes era abundância
Hoje, é só desolação
Sede, fome, solidão...
A luz, que era pra todos, aqui, não chegou, não
Só as estrelas e a lua, pra retirar o véu da escuridão.

Chora a floresta, que o sol, inclemente, queima
Chora o caboclo, sem água, sem peixe
Chora minha cunhantã, de olhos tristes
Chora meu curumim, que nada entende
Choro eu e também minha mulher, descrente
Não sei se vamos, ou se ficamos
Se sair daqui, não serei vivo
Se aqui ficar, estarei morto.


RÔ Campos, 21 de setembro de 2010

domingo, 19 de setembro de 2010

A TI, BELCHIOR

Nos últimos dias, eu tenho andado mais angustiada que um goleiro na hora do gol. Há pouco, no quintal, olhei para o céu e fiquei mirando aquela estrela que a digo minha, a minha estrela, a estrela solitária. Lembrei de Belchior, vim para o computador e compus esse poema. Adoro Belchior. Grande poeta. As letras de suas canções revelam inquietações. É a Divina Comédia Humana!!!


A TI, BELCHIOR


Por onde quer que andes
Espero que te encontres
Ou que te percas e te aches
Nas encruzilhadas da vida
Sob o céu que te protege.

Que teus olhos sejam furados
Pela luz da tua estrela, que te alumia
Que a ouças na escuridão de teu infortúnio
Antes que a morte venha e te leve
Sem que tenhas visto a vida, num instante
Na hora do almoço, na sala de jantar

Que o chão da terra em que pisares te acolha
E que não tenhas mais tanto medo, medo, medo
Do vazio que muitas vezes nos toma a todos
Das perguntas sem respostas
Da nua realidade posta sobre a mesa

Que te anime teu coração e te encha de coragem:
A vida é um eterno combate
Que a muitos abate.
Mas é preciso ter força pra seguir em frente, cair, levantar
Fugir é uma bobagem:
As lembranças são um cárcere
A saudade, um punhal cravado no peito.

Que a tua estrela, Belchior,
Enfim, te leve a boa nova
A ti, que és rei
E brilhe, abundantemente, sobre o teu castelo
Em noites de lua minguante, de lua crescente
De lua nova, de lua cheia

Que a mirra e o incenso inundem a tua morada
O teu corpo, a tua casa
Com o vento a dançar ao luar, livre, nu
Enquanto ouves a tua estrela e cantas teu canto
A ecoar no infinito
O teu infinito, Belchior, és tu.

RÔ Campos, 19/09/2010

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

A GRANDE ALEGRIA, A MORTE, A VIDA - CANTO GERAL: PABLO NERUDA

A sombra que indaguei já não mais me pertence
Eu tenho a alegria duradoura do mastro
A herança dos bosques
O vento do caminho
E um dia decidido sob a luz terrestre

Quero que um jovem ache na dureza
Que construí, com lentidão e com metais
Como uma caixa, abrindo-a, cara-a-cara
A vida, minha alegria, nas alturas.

Renasci muitas vezes
Desde o fundo de estrelas derrotadas
Reconstruindo o fio das eternidades
Que povoei com as minhas mãos.
Não comprei uma parcela do céu
Que vendiam os sacerdotes
Nem aceitei trevas
Que o metafísico manufaturava para despreocupados poderosos.
Quero estar na morte com os pobres
Que não tiveram tempo de estudá-la
Enquanto os espancavam os que têm o céu dividido e arrumado.

Quando o amor gastou a sua matéria evidente
E a luta debulha os seus martelos
Em outras mãos de acrescentada força
Vem a morte para apagar os sinais que foram construindo tuas fronteiras.
Que os coveiros escarvem as matérias azíagas:
Que levantem os fragmentos sem luz da cinza, e falem no idioma do verme
Diante de mim só tenho sementes, desenvolvimentos radiantes e doçura.

(Na verdade, reuni fragmentos dos 3 poemas de Pablo Nerudä: A grande alegria, A morte, e A vida, de sua obra Canto Geral. Acreditei que ficaria bacana os 3 assuntos em um só. Quanto atrevimento!)

domingo, 12 de setembro de 2010

AMÉRICA LATINA

Menina moça, foi um navegador europeu,
Colombo, o portador de Cristo
Foi ele - a serviço dos reis católicos de Espanha
Que retirou o manto que te cobria
Desde então tua nudez foi exposta...

Depois que Cristóvão te descobriu, conta a História,
Em meio a contradições tantas,
Pisou em teu estirão verde um certo Vespúcio
Vindo também das bandas de lá, muito além do mar
Do outro lado do mundo, um mundo então já velho
Em cuja homenagem te deram nome:
América!

Logo tomaram tua gente, menina moça
Apossaram-se do teu centro, de tuas terras
Estabeleceram morada pela vez primeira em Santo Domingo
Foi esse nome santo que te puseram, em um pedaço de teu torrão.
Quantas civilizações milenares desapareceram:
Inca, asteca, maia...

América Latina, das terras Central e do Sul
Não tiveste a mesma sorte que aquela outra, a do Norte.
Ora, pois, ensolarada menina,
Nas bandas de lá se puseram holandeses, franceses, saxões
Todos em debandada, fugindo de perseguições políticas e religiosas,
Vindos do velho continente, o europeu
Em busca de novas terras para fazer morada.
Uma nova pátria!
O Norte floresceu - mas nem tanto as terras de Zapata,
(Essa menina latina, juntinho aos estados que se uniram)
Que até suas terras do Texas, Califórnia, Utah, Novo México e Arizona, perdeu
Sob o protesto de seus valentes soldados, que bradavam:
Green, Go Away!
Green, Go Away!

Ah, menina latina, triste fado o teu
Descoberta, nua,
Esse homem europeu pos-se em teu colo, apossou-se do teu solo e te consumiu
Meteram-se em contendas tantas, negociatas - as mais baratas
Disputaram em batalhas a tira que antes cobria teu seio, tua vergonha
Declararam-se teu dono, em terras que não eram de ninguém. Só tua!
Mercadores, covardes! Quanta carnificina!
O índio lutou, morreu
Tua terra inteira gemeu!

Tantos anos se passaram!
O velho continente está mais velho... Já não és tão moça...
Restaram as nódoas de tão humilhante exploração
Ainda hoje tuas mulheres são aliciadas, usadas, abusadas
Ainda hoje fazem de tuas terras um lenocínio
Ainda hoje...Ainda hoje... escutas os ecos do passado
Naquele tempo, quando era presente
E é no presente que se tecem os fios do porvir.

(RÔ CAMPOS, 12/09/2010)

SOBREVÁRIASCOISAS

1. A correria do show AGUACEIRO foi demais, que ainda não tinha sequer tido tempo de escrever sobre qualquer coisa, muito menos a respeito do próprio show, que foi um arraso. Atropelos sempre há, mas o saldo foi absolutamente positivo. Agora vamos partir para a edição do DVD e iniciarmos os preparativos para o show de lançamento, que deverá ser nos mesmos moldes do show de gravação, reunindo grandes talentos do Norte e Nordeste do país. Aguardem!

2. Após o show, Lucevilson, Geraldo Azevedo, Maciel Melo e outros tantos, reunimo-nos no TOC TOC DELÍCIAS & CHOPP, para festejar o resultado. Lá, encontramos o meu querido Tom Cleber, e após a turma deliciar-se novamente com uma gostosíssima caldeirada de tambaqui, segui-se à sessão de fotos. Foi uma noite brilhante e de um astral maravilhoso. Valeu a pena!!!!

3. No feriado da terça, reuni-me a Oneide Bastos e o filho, Paulo Bastos, artistas de Macapá, no Tacacá da Gisela, e seguimos para um tour pela cidade. Terminamos na Ponta Negra, saboreando sorvetes de tucumã, castanha e taperebá, na Glacial. Uma delícia!!!!

4. Na quarta, repeteco, no Tacacá da Gisele, do show de Lucevilson, com participação de Maciel Melo e Antonio Pereira. Toda a galera artística reunida nesse point maravilhoso de nossa cidade, além de várias pessoas que assistiram ao show, no Teatro Amazonas. Depois, passamos pelo Bar do Armando e batemos um papo sobre arte, música e outras coisas mais. Eu, Antonio Pereira, Sidney Rezende, Nicolas Junior e Zotti.

5. Quinta-feira fiquei de molho, porque ninguém é de ferro. Aproveitei para atualizar a leitura dos jornais (estava tudo absolutamente atrasado) e organizar algumas coisas que estavam viradas de cabeça pra baixo. Na sexta, Happy Hour do Toc Toc Delícias & Chopp com Robertinho Chavez e, depois, ET BAR. Imperdível! Pinçamos por lá Lucevilson de Souza, Fred Jobim, o percussa Júlio, do Raízes Caboclas e uma moçada cujo astral estava pra lá do céu.
Ontem, sábado, novamente a Happy Hour do Toc Toc. Após, Robertinho Chavez deu continuidade ao sabadão do ET BAR, começando a tocar às 23:30h, até 2:30h da madrugada. Um agito total!!!
Agora, vou dormir, para recuperar as energias, pois a noite de domingo no TOC TOC é longa, com muita música das 20:00h até a meia-noite. Apareçam por lá. Voc6es vão adorar a noite de domingo.

A PONTE

(Zeca Tocantins)

Confesso que não me agrada
nem
a pequenez do ter
nem a imensidão do nada.

E desconheço o
mais forte:
se a peleja da vida
se o descanso da morte.

Insiro
ne meu poema:
toda angústia do texto
toda a beleza da cena.

Prefiro
pensar assim:
a ponte destes extremos
passa por dentro de mim.

Do livro "Colhedor de Manhãs"

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

ESPERANÇA

ESPERANÇA


Novos dias. Novos sonhos.
É um esperar que tudo alcança
Mesmo que seja não mais esperar
Pois até a espera se cansa de sonhar
Só a negra dama não espera quando é convidada
Vem feito ventania. Seja chuva. Seja sol.
Mas é na espera , sem ânsia
Que a vida canta e dança, faz acontecer

Esperança!

Tu és uma criança, botão que arrebenta
Que se abre, nunca se fecha

Esperança!

Eu te guardo e te mantenho vívida
Te nino por saber que sem tua magia, sem tua luz
Nada mais me conduz, me alumbra
Sou total escuridão.

Esperança!

Sempre que as rugas ameaçam cobrir a tua face
Te cuido para não te deixar envelhecer
Se envelheceres, contigo envelhecerão meus sonhos
Sonhos envelhecidos não têm cor. São pesadelos
Pesadelos trazem dor, horror
Não nos deixam mais viver.

Esperança!

Todos os dias te cuido para que não te deites num leito de morte
Se te deitares, adoecerás e darás o último suspiro
E eu também morrerei contigo.

Esperança!

És a flor mais bela no jardim da minha vida
Vão-se as pétalas. Fica o perfume.

(06.09.2010)

GERALDO AZEVEDO JÁ ESTÁ EM MANAUS

Pois é. Geraldinho chegou perto de meia-noite e foi direto para o TOC TOC DELÍCIAS & CHOPP, onde saboreou uma gostosérrima caldeirada de tambaqui. Deliciou-se, é claro. De sobra, ainda ouviu Robertinho Chavez em sua Happy Hour de domingo e apreciou o trabalho desse grande artista. Em seguida, chegou seu técnico de som, Sérgio Felipe, direto de Natal, onde encontrava-se a trabalho. Estão todos hospedados no Blue Tree Hotel, um dos mais novos empreendimentos hoteleiros da cidade e nosso parceiro nessa ousada empreitada do Lucevilson de Sousa. Amanhã chega Maciel Melo, diretamente do Recife. Os trabalhos já foram iniciados hoje à noite, com preparação de cenário e iluminação. De manhã cedo todos já estaremos nessa batalha gostosa que é a realização de um sonho do Lucevilson, esse maranhense corajoso que há muito adotou Manaus, que o recebeu de braços abertos. Mas o nosso trabalho não termina por aí. Em seguida virão a edição do DVD e o show de lançamento, uma grande surpresa para o início do próximo ano. Aguardem. E vamos todos lá, prestigiar o Lucevilson, esse amaranhense (isso mesmo, amaranhense, mistura de amazonense com maranhense)que bem merece o carinho de todos nós, porque sonha e tem coragem. Sim, porque para viver é preciso sonhar, sempre. E para tornarmos realidade nossos sonhos, temos que ter coragem.

sábado, 4 de setembro de 2010

FRAGMENTOS DE ODISSÉIA, DE HOMERO

1. "Vede, vede como os homens mortais lançam sempre a culpa sobre nós, os deuses! Somos a fonte do mal, dizem eles, quando, na realidade, devem agradecer apenas à própria loucura, se suas desgraças são piores do que deveriam ser."

2. "Fica advertido agora tu mesmo e jamais serás bom demais, mesmo para tua esposa. Jamais lhe digas o que pretendes fazer; podes dizer-lhe algo, mas reserva algo para ti mesmo."

3. "A noite é a ocasião das borrascas perigosas; é assim que os navios se perdem."

4. "Mais vinho, menos juízo, como sabeis. O vinho faz um homem cantar, mesmo quando é um sábio, fá-lo rir e gargalhar, fá-lo dançar e contar o que guardava consigo."

5. "A melhor regra é moderação em tudo."

6. "Não há pior vida para o homem do que andar sem destino."

7. "Um contra muitos ...muitos, muitos demais contra um!"."

8. "O que vem de Zeus ninguém pode evitar!."

9. "Dá-m, meu amigo. Não pareces um homem comum, mas o mais alto da nação, pois te assemelhas a um príncipe. Portanto, deves dar ainda mais do que os outros."

10. "O pranto constante é uma triste ocupação."

11. "O ferro à vista faz os homens combater."

12. "O choro constante é uma triste ocupação."

13. "Algum dia, talvez, percas tudo que te coloca acima dos outros".

14. "Os homens envelhecem depressa com o infortúnio."

15. "Escuta, reflete!."

16. "Paciência, meu coração! Estiveste em pior situação que esta, quando aquele ciclope de olho esbugalhado, aquela fera, devorava meus companheiros. Foste paciente, então, até que minhas maquinações te tiraram daquela caverna, onde esperas morrer."

17."O vinho costuma atordoar quem abre a boca demais e engole muito."

18. "...E, depois, haverá tempo para outras diversões com música e cânticos, pois estes são os prazeres da festa.""

19. "" Assim, saberás e dirás aos outros homens que praticar o bem é muito melhor do que fazer o mal."

20. "Há tantos impostores!."

21. "A velhice é má em si mesma, mas tu estás todo sujo e tuas vestes não te fazem crédito."

QUEM SOU EU?

"Quem sou eu?
Uma coisa pensante.
E o que é uma coisa pensante?
É uma coisa que duvida, entende, afirma, nega, deseja, abstém-se de querer e que também está atenta a imagens e sensações"

René Descartes (1596-1650), filósofo francês.

O HOMEM QUE LÊ VALE MAIS

"Quanto mais viciados houver em livros, revistas, jornais, manuais e bulas de remédio, menos gente vai se intoxicar, levar choque e votar em safado. Aumentarão a felicidade e o valor da vida, pois o homem que lê vale mais"

José Roberto Alencar (1945-2007), jornalista mineiro.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

SHOW LUCEVILSON DE SOUSA

Eita correria! Semana anterior a show é sempre assim. Nem o Lucevilson escapou dessa agonia. Mas, com certeza, os bônus virão depois. Assistiremos a um show maravilhoso, num dos grandes encontros da música já realizados entre artistas do Norte e Nordeste, reunindo nada menos que grandes feras do mundo da música. O resultado será um DVD primoroso, com músicas que caem muito bem ao gosto do amazonense, um eterno apaixonado pelos ritmos nordestinos, que muito evocam nossas raízes. Sem contar a participação especialíssima do nosso cantador maior, Antonio Pereira, detentor de uma das vozes mais lindas deste país, do Oiapoque ao Arroio Chuí, e da belíssima matogrossense há muito radicada em Manaus, Simone Ávila. E de lá dos Pernambucos, nada menos que Geraldo Azevedo, o qual dispensa qualquer comentário e Maciel Melo, pouco conhecido pelo público amazonense como cantor, mas grande compositor, parceiro de Geraldo Azevedo e com canções já gravadas por renomados cantores brasileiros, como Elba Ramalho, por exemplo. A estrela da noite, Lucevilson de Sousa, maranhense, desde criança vivendo em Manaus, mistura em sua música os tambores e temperos do nordeste aos batuques e cheiros do norte. Resultado: energia e balanço puros. Imperdível! Até lá! Ingressos à venda na bilheteria do Teatro Amazonas e pelos fones (92) 9188-0932/8145-2507. Plateia, frisa, 1º e 2º pavimentos: R$ 40,00 (inteira); 3º pavimento: R$ 30,00 (inteira). Corra, senão você vai perder esse showzaço!

TACACÁ NA BOSSA, PESSOAL DO AMAPÁ, PARÁ E OUTRAS COISITAS

Gente, que noite maravilhosa! O nosso Renatinho Almeida iniciou os trabalhos no Tacacá na Bossa de ontem, quarta-feira. Depois, como havia comentado, o mineiro Levy Jardim mandou o seu recado.Quase no final, encontramos uma fatia do povo do Amapá e Pará, cujos artistas estão a caminho do FECANI. Direto do Macapá, Paulo e Patrícia Bastos, ambos acompanhando a mãe, Oneide, com mais de trinta anos de carreira, a única amapaense a participar dessa edição do FECANI. Justo ela, que encontra-se em um momento mais do que especial de sua vida, com a finalização de seu primeiro CD, produzido pelo filho, Paulo Bastos, músico, compositor e arranjador. Do Pará, Marcelinho, bandolinista desses raros e Antonio (se o alemão não estiver me atrapalhando, é esse mesmo o nome dele), sete cordas de dá gosto. Após a apresentação de Levy, fomos para o TOC TOC, onde essa turma maravilhooooosa, quebrando o ritmo de Pop Rock já tradicional das quartas-feiras, subiu ao palco para uma canja, que virou show, mandando ver numa sequência de Chorinho, onde até Doce de Coco deu as caras para nos deliciar. Oneide Bastos no vocal, com uma voz limpíssima e afinada, no explendor de seus 60 e poucos anos, para fazer inveja a muitas pessoas. Patrícia Bastos tem bem a quem puxar. Aqueles que estiveram, como eu, acerca de dois meses atrás, no Largo de São Sebastião e assistiu ao show de Patrícia Bastos, Joãozinho Gomes e Enrico Di Miceli, no Projeto Sesc Amazônia das Artes (tomara que o alemão novamente não me vença), sabe muito bem do que estou falando.
Amanhã, quando fará sua apresentação no FECANI, estarei torcendo por Oneide aqui em Manaus. E por todos aqueles que fazem da música sua vida, iluminando e perfumando a vida de tantos e quantos.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

MEU FINAL DE SEMANA

Tive um final de semana maravilhoso. Aliás, esse final de semana começou cedo, ou antes, digamos assim.
Quarta-feira é de lei: Tacacá na Bossa, no Largo São Sebastião. Na última quarta, show maravilhoso do nosso querido Chico da Silva, com o Largo lotadíssimo. Depois, reunião rápida no Bar do Armando. Em seguida, rumamos para a Quarta Alternativa do TOC TOC Delícias & Chopp, que está uma delícia, diga-se de passagem. Na quinta, descansei, porque, afinal de contas, não sou de ferro.
Sexta-feira, a tradicional Happy Hour do TOC TOC, a partir das 19:30h, com Robertinho Chaves, Krysna e eu, dando uma de percusionista. Depois, rumei para o ET BAR, onde a sexta-feira é absolutamente imperdível. No prêmio "ÓIA MANAUS" o ET BAR é, de longe, o vencedor de, pelo menos, três prêmios: Melhor Boteco, Melhor fim de noite, Melhor local pra paquerar.
Sábado, novamente a Happy Hour do TOC TOC. Foi DEZ+. Depois, seguimos para o ECKOLOUNGE, onde Robertinho Chavez fez um som, pela primeira vez, juntamente com Krysna e eu, me metendo no que não entendo. Amamos o lugar. Muito gostoso e bem transado. Robertinho Chavez saiu muito bem na foto e já foi convocado para agitar o local na próxima sexta-feira, dia 03 de setembro, com muita MPB e POP ROCK, a partir das 23:00 horas.
Domingo, a Happy Hour no TOC TOC, das 20:00 horas à meia-noite. Ontem (porque já estamos quase na manhã de segunda-feira), foi uma das melhores Happy Hour. Horas de muita descontração e risos, com o alto astral do Robertinho Chavez, interagindo com o público presente. A música se estendeu até quase 1:00 hora da madrugada. Final de semana gratificante, com muita música boa.
Já estou me preparando para a semana que inicia, emendando com a próxima. Terça-feira, dia 31, tem o grupo do Mariolino no Bar do Armando. Quarta, Levy Jardim, um maravilhoso violonista mineiro, que já apresentou-se várias vezes em Manaus, inclusive no Açaí & Cia. e no Toc Toc, estará no Tacacá na Bossa. Juro que é imperdível. Quarta e Quinta também tem TOC TOC. E pra quem gosta da música romântica, sexta tem TOM CLEBER & BANDA no TOC TOC. As mesas já estão praticamente todas vendidas. Tem, ainda, o FECANI e, segunda-feira, dia 06, Show AGUACEIRO, com a gravação de DVD do Lucevilson de Sousa, no Teatro Amazonas, a partir de 21h, com participações especialíssimas dos pernambucanos Geraldo Azevedo e Maciel Melo, bem como do nosso cantador maior, Antonio Pereira e da cantora Simone Ávila. Não percam!!!

ORAÇÃO DA SERENIDADE

Deus, conceda-me Serenidade para aceitar as coisas que não posso modificar, Coragem para modificar aquelas que posso e Sabedoria para reconhecer a diferença.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

SHOW LUCEVILSON/MILTON HATOUM

1) Estivemos hoje, às 19:00 horas, participando do programa do Braz Silva, na TV UFAM. Gentil, Braz nos recebeu com aquela alegria que sempre lhe foi peculiar. A alegria de viver a vida com a leveza que nos livra do estresse e da tristeza. Braz Silva, desde sempre um grande incentivador da arte de nossa cidade, gentilmente convidou-nos para essa entrevista, que girou em torno do Show Aguaceiro, do cantor e compositor maranhense Lucevilson de Sousa, radicado em Manaus desde os 5 anos de idade, que ocorrerá no dia 06 de setembro próximo, às 21horas, no templo maior de nossa arte, o Teatro Amazonas, com participações especialíssimas do consagrado cantor e compositor pernambucano Geraldo Azevedo, do também pernambucano Maciel Melo, do cantador amazonense Antonio Pereira e da matogrossense Simone Ávila, também radicada em Manaus e detentora de uma belíssima voz, uma rara oportunidade de assistir, reunidos em um só show, cantores dos naipes dessas feras da música popular brasileira. Absolutamente imperdível. Ingressos à venda na bilheteria do Teatro Amazonas, a partir de 30/08, segunda-feira, ou pelo telefone (92) 9188-0932, da PACTOLO - Produçoes e Eventos, onde você também poderá contratar pacotes, com preços promocionais, podendo adquirir ingressos pagando meia entrada, sem exigência de carteira de estudante, inclusive para acesso ao teatro.

2) Depois da entrevista, fomos, para variar, ao Tacacá da Gisela, lógico que, dentre outras coisas, para saborearmos essa delícia do Largo de São Sebastião. Quem estava lá? Ora, quem, Milton Hatoum, que eu amo de montão. Li o seu romance "Dois Irmãos" e logo me apaixonei por esse ilustre escritor amazonense, que agora lança sua mais recente obra "A cidade ilhada". Corri à banca de revista do Largo, comprei o livro e levei-o para receber o devido autógrafo. Disse-lhe de quanto o admiro e do respeito que tenho por esse escritor que tanto dignifica nosso Estado. Quando me dei conta, a fila que se formou atrás de mim estava grande, inclusive com turistas estrangeiros que também haviam comprado o livro e queriam o seu autógrafo. Não satisfeitos, após, seguiram-se sessões de fotos. Confesso que fiquei com uma pontinha de inveja, pois não estava com minha câmera e perdi essa grande oportunidade. Mas, amanhã, quarta-feira, quem sabe esse ilustre amazonense ainda esteja por lá...

3) O happy hour do Toc Toc - Delícias & Chopp, na Av. do Turismo, às sextas, sábados e domingos está pra lá de bom. Antes de ontem, domingo, a casa entrou num clima especialíssimo, sob o comando, como sempre, de Robertynho Chaves, e houve até quem subisse ao palco para dar uma palinha. Com esse verão escaldante, a pedida é o TOC TOC, que dispõe de uma enorme área ao ar livre, com a lua por testemunha. E no domingo, o som rola das 20:00 horas à meia-noite, com um couver artístico de apenas R$ 4,00, por pessoa. Torne sua noite de domingo mais especial. Leve sua namorada, esposa, amiga, ficante para o happy hour do TOC TOC. Elas vão se apaixonar.

4) Antes do TOC TOC, no domingo, Robertynho Chaves faz a alegria das tardes do ET BAR (o Bar da Loura), no Boulevar Amazonas, das `15:00 às 18:00 horas. E se você não quiser perder o futebol do domingo, não tem problema. Lá, há uma tv de LCD, que lhe permite ao menos acompanhar a partida (sem o som, é claro, porque o que rola de áudio é muita música nas caixas). Não há cobrança de couver artístico nem 10%.

sábado, 21 de agosto de 2010

TUDO TEM UM PREÇO

TUDO TEM SEU PREÇO. NADA VEM DE GRAÇA
HÃ CONTAS A AJUSTAR COM O DONO DA QUITANDA
COM A DONA DO BOTECO.

PAGA-SE PARA NASCER. PAGA-SE TAMBEM PARA VIVER.
O HOMEM PAGA ATE PARA MORRER
O PREÇO DA INDIFERENÇA, QUE MATA
O PREÇO DA COVA. O PREÇO DO COVEIRO
O PREÇO DO PADRE, QUE DIZ AMÊM
O PREÇO DO PASTOR, TAMBÊM.

HÃ A CONTA DA CACHAÇA
O PREÇO DA RESSACA
A FATURA DA OMISSÃO
DO PAI, DA MAE
O PREÇO DO PERDAO.

HÂ O PREÇO DA FELICIDADE
HÃ QUEM SE ACOVARDA
(Ê O MEDO QUE APRISIONA, OU O MEDO QUE ENCORAJA)
PAGA-SE PELA VERDADE, QUE OCULTAMOS,E NOS TORNA MENTIROSOS
EM NOME DE UMA GRATIDAO QUE SUBMETE
Ê O PREÇO QUE PAGA QUEM RECEBE
O PREÇO DO AMOR, QUE NAO TEM PREÇO
O PREÇO DO AMOR, QUE ADOECE E FENECE.

HÃ O PREÇO DA COVARDIA
A CONTA DE ANOS DE FRIEZA
CASAIS QUE APENAS SE SENTAM Â MESMA MESA
DAO-SE BOM DIA, BOA NOITE. APARËNCIAS...
NO LEITO, DAO-SE AS COSTAS
VIDAS VAZIAS...

HÃ O PREÇO DA CULPA
O MEDO ASSUSTADOR DE SER FELIZ
QUANDO O OUTRO Ê TRISTE, PORQUE ASSIM O QUIS.
AFINAL, NINGUÊM Ê DE NINGUÊM
E O CORAÇÃO Ê TERRITÕRIO DE CADA UM.

HÃ O PREÇO DA DECISÃO
O PREÇO DA DECISÃO DE REDESCOBRIR, REVIVER
BUSCAR A FELICIDADE. UM DEVER, UMA OBRIGAÇAO DE TODOS NÕS
QUE NASCEMOS PARA A ALEGRIA, A CELEBRAÇÃO
DO AMOR QUE NASCE, DESABROCHA E MORRE. OU NAO.

(RÖ CAMPOS, 21/08/2010)

SHOW ^AGUACEIRO^- GRAVAÇÃO DVD DE LUCEVILSON DE SOUSA

Estamos na rua hã alguns dias. Agora, mais do que nunca. Corrida frenêtica para o show Aguaceiro, do cantor e compositor Lucevilson de Sousa, no Teatro Amazonas, dia 06 de setembro prõximo, as 21:00 horas, quando, tambêm, gravarã o seu primeiro DVD, ao vivo e a cores.
O show, cujos comentãrios jã correm os quatro cantos de Manaus, contarã com participações especialîssimas dos pernambucanos Geraldo Azevedo (que dispensa quaisquer comentãrios) e Maciel Melo, alêm do amazonense Antonio Pereira, o cantador da Amazönia, e da cantora Simone Ãvila.
Sem dûvida alguma o evento promete agitar Manaus na segunda-feira, vêspera do feriado de 7 de setembro.
Os ingressos estarão ã venda a partir de segunda-feira, dia 30 de agosto, na bilheteria do Teatro Amazonas. Valores: R$ 40,00 (inteira) plateia, frisas, primeiro e segundo pavimentos; R$ 30,00 (inteira) terceiro pavimento. Informações pelos telefones (92) 9125-5409 (Suzana),(92) 9188-0932 (RÖ Campos - PACTOLO - ProduÇões e Eventos Ltda. www.pactoloproducoes.com.br.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

FRAGMENTOS DE ^A ILHA DO DIA ANTERIOR^ DE UMBERTO ECO

1. Não podemos estar ao lado de alguem sõ atê quando as coisas vão indo bem e depois abandonã-lo quando estã comm a corda no pescoço.
2. Ah! a guerra ê uma besta feroz. Contudo, lembre-se sempre disso, meu filho: devemos ser bons, mas se alguêm se aproxima para nos matar, ê ele quem estã errado. Ou não?
3. ...começava a aprender lentamente que o mundo se articulava por estranhas arquiteturas.
4. A primeira qualidade de um homem de valor ê o desprezo pela religião, que nos quer temerosos da coisa mais natural do mundo, que ê a morte, fazer-nos odiar a ûnica coisa bela que o destino nos concedeu, que ê a vida, e aspirantes a um cêu, de cuja eterna beatitude vivem apenas os planetas, que não gozam de prëmios ou castigos, mas de seu eterno movimento, nos braços do vazio.
5. Forte ê o rei que tudo destroi, mais forte a mulher que tudo obtem, e ainda mais forte o vinho que afoga a razão.
6. Mais forte ainda ê a verdade, e eu que o diga.
7. Deveis ser muito e as vezes parecer pouco.
8. E, principalmente, se tiverdes paixões, não as mostreis, por mais nobres que vos pareçam. Não se deve permitir a todos o acesso ao prõprio coração. Um silëncio prudente e cauto ê o relicãrio da sabedoria.
9. Ê virtude acima da virtude dissimular a virtude.
10. Dissimular ê estender um vêu composto de trevas honestas, do qual não se forma o falso, mas se concede algum repouso ao verdadeiro.

FRAGMENTOS DE ODISSEIA, DE HOMERO

1. Não hã pior vida para o homem do que andar sem destino.
2. ...mas Telëmaco não a viu, pois os deuses não se mostram manifestamente a cada um.
3. O que vem de Zeus ninguêm pode evitar!
4. Dã-me meu amigo. Não pareces um homem comum, mas o mais alto da nação, pois te assemelhas a um prîncipe. Portanto, deves dar ainda mais do que os outros.
5. O pranto constante ê uma triste ocupação.
6. Algum dia, talvez, percas tudo que te coloca acima dos outros.
7. Os homens envelhecem depressa com o infortûnio.
8. Escuta, reflete!
9. Paciëncia, meu coração! Estiveste em pior situação que esta...
10. Assim, saberãs e dirãs aos outros homens que praticar o bem ê muito melhor que fazer o mal.

VEJA MANAUS 2010

Independentemente de discordar completamente dos criterios adotados pela Revista VEJA para premiaÇao do VEJA MANAUS, por razões que não vou expor no momento, não posso deixar de registrar, no entanto, a minha absoluta surpresa, com o devido respeito ao Chão de Estrelas, pelo fato da casa haver sido escolhida como a melhor no item MUSICA AO VIVO. Francamente!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

ECOS DO TEMPO

ECOS DO TEMPO

O tempo não tem ouvidos. O tempo não escuta.

O tempo não tem boca, mas o tempo fala. Escute a voz do tempo.

O tempo não tem pernas, mas ele segue o seu curso. Analise os passos do tempo. Não corra. Você pode não ver os detalhes.

Tudo tem o seu tempo. Mas não deixe o tempo passar pela vida.

Viva a vida todo o tempo. Amanhã pode não haver mais tempo.



(RO CAMPOS, 18;08;2010)

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

CITACAO

Nao adianta fugir:
As lembranças sao um cãrcere; a saudade, um punhal.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

ATERRORIZADOR E EMOCIONANTE

Nao estranhem a flata de acentos, alguns sinais grãficos etc. Meu teclado enlouqueceu.
Entao, vamos ao que interessa. Se comentasse com meus filhos o assunto sobre o qual me debrucarei agora, eles diriam que eu sou uma perfeita idiota, que vejo beleza onde nao tem nada a ver e que dramatizo as vezes. Talvez. Talvez. Estive reunindo com nosso querido amigo, cantor e compositor Lecevilson de Sousa, ontem a noite, no Tacaca da Gisele, quando conversavamos sobre o projeto do show de gravacao de seu DVD, no proximo dia 06 de setembro, que sera realizado, possivelmente, no Teatro Amazonas. Deixei meu carro estacionado no lado direito na rua Dez de Julho, emf rente ao Bar do Armando. Quando voltei, havia um fiat mille parado bem atras do meu. Apesar de nossas buscas, o dono nao apareceu. Conversando com os meus botoes, cheguei a pensar que aqueles homens que se dizem ^reparador de carro^ tinham alguma coisa a ver com isso. Explico. Algumas vezes tenho estacionado ali, sem que haja uma viva alma na hora em que chego, mas, quando vou embora, o que nao falta e gente querendo receber dinheiro. E eu nao dou. Nao ganho dinheiro facil. Aconteceu assim na semana passada. Pois bem, um amigo, que estava me acompanhando, viu uma luz no fundo do tunel. Afastou umas pecas de concreto que estavam na frente do carro, pude avancar e dã a re, encontrando uma brecha pra me safar daquela prisao. Mas nao e que, quando tentava dã a re, me aparece um gaiato pedindo dinheiro por conta do bendito estacionamento. Como eu sequer olhei pra ele, o cafajeste debrucava-se no para-lama do carro como a tentar evitar que eu prosseguisse, pois poderia machuca-lo. Insisti lentamente e consegui sair, enquanto o canalha tentava quebrar o meu retrovisor. Confesso que pensei dez vezes em sair, apanhar um pedestal de microfones que vive em meu carro, quebrar as lanternas do carro do imbecil que me trancou e dar umas boas porretadas no meliante que tentava me assaltar. Gracas a Deus que fui embora, pois se tivese agido assim, no final das contas eu seria uma velha estressada, mal amada, mao de vaca, agressiva, que tinha vitimado um pobre coitado que apenas tomava conta do meu carro e queria receber o seu trocado.
Tentando aliviar o estresse, procuramos um boteco qualquer para tomarmos uma cerveja gelada e batermos um papo sobre os ultimos acontecimentos, que foram bem carregados. Fomos parar no Bairro Novo Aleixo. Conversamos sobre a dificuldade que e viver em Manaus atualmente. O calor insuportãvel, o tränsito estressante e tantas outras coisinhas que nao vou relacionar agora porque nao e o meu assunto principal.
Entao, no final, resolvi ir ao banheiro. Nao havia papel higienico no que entrei e resolvi ir ao banheiro do lado. Percebi um papel computadorizado onde havia escrito que destinava-se ao uso exclusivo de criancas. Querem saber mais: o vaso sanitario, branquinho, era do tamanho de um vaso de brinquedo, proprio de uma casinha onde criancas brincam, mas era um vaso de verdade. Ai entao pensei: que mundo louco. Loucos na cidade, e, na periferia, pessoas que se preocupam com a saude e seguranca de nossas criancas. Sao pessoas como a que teve essa ideia brilhante que fazem a diferenca neste mundo tao desenfreado.