segunda-feira, 9 de março de 2015

TEU CORPO


(RÔ Campos)

Dedilhando as cordas do meu violão,
Preso em meus braços largos,
Colado ao meu peito,
Mergulho no. universo do teu corpo,
Procurando esse ser,
Mulher.
E me afogo e morro e volto a viver,
A cada novo acorde,
Com minhas mãos te tocando
E tuas cordas vibrando
Em gozo profundo,
A cada suspiro que me arrebata
E leve me leva e me traz de volta.

Nenhum comentário: